Bolsonaro deixa restrições em estradas a critério de órgãos estaduais

Bolsonaro deixa restrições em estradas a critério de órgãos estaduais

Presidente voltou atrás de delegar serviço para a Anvisa

Por
R7

Órgãos estaduais deverão deliberar sobre restrições em estradas


publicidade

O presidente Jair Bolsonaro voltou atrás da decisão de centralizar na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a responsabilidade de permitir fechamento ou bloqueios em estradas do país, de acordo com o cenário da pandemia do novo coronavírus. Em resolução publicada na noite desta segunda-feira no Diário Oficial da União, o governo federal delegou a tarefa aos órgãos de vigilância estaduais.

Segundo o texto assinado pelo diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, "fica delegada ao Órgão de Vigilância Sanitária ou equivalente nos Estados e no Distrito Federal a competência para elaborar a recomendação técnica e fundamentada ao estabelecimento de restrição excepcional e temporária por rodovias de locomoção interestadual e intermunicipal".

Até então, a decisão de alguns governadores de restringir a circulação em meio à propagação do coronavírus havia sido criticada pelo presidente por ter sido considerada "um exagero". Agora, Bolsonaro busca uma aproximação com os estados para definir estratégias conjuntas de combate à pandemia. 

Como prevenir o contágio do novo coronavírus 

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.


• não compartilhar objetos pessoais.