Bolsonaro desembarca na Hungria para encontro com o premiê Viktor Orbán

Bolsonaro desembarca na Hungria para encontro com o premiê Viktor Orbán

Na quarta, mandatário encontrou o presidente russo Vladimir Putin

R7

Bolsonaro partindo para a Hungria

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou em Budapeste, na Hungria, na manhã desta quinta-feira, onde se encontra com o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Esse é o último compromisso oficial do presidente na viagem.

Bolsonaro chegou ao país por volta das 5h da manhã, no Brasil, 9h no horário da Hungria. A comitiva presidencial foi recebida no aeroporto pelo vice-primeiro-ministro Sándor Pintér.

Em seguida, Bolsonaro se dirigiu à sede do governo húngaro para reuniões bilaterais. A agenda do presidente prevê uma reunião privada com o presidente da Hungria, János Áder, às 10h15min (horário local), e deve durar 30 minutos. Bolsonaro também participa de uma cerimônia em que depositará flores na lápide Memorial dos Heróis Húngaros. 

O encontro com o primeiro-ministro Viktor Orbán está previsto para as 11h30min (horário local) e deve durar cerca de uma hora. Não é a primeira vez que Bolsonaro se encontra com o ultra-nacionalista. O político húngaro foi um dos dez chefes de Estado (ou de governo) que vieram à posse de Bolsonaro em 2019. No mesmo ano, o filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), também esteve com Orbán.

Orbán, conhecido por seus discursos anti-imigração, já havia associado os imigrantes ao terrorismo e ao crime. Desde 2010, Orbán é defensor do que chama de "democracia não liberal" e se mantém no poder unindo nacionalistas e ultraconservadores na Hungria. Polônia e Hungria, junto com República Checa e Eslováquia, formam o Grupo Visegrado, em que a direita nacionalista está no comando.

Depois da reunião com Orbán, será oferecido um almoço e, ao final da tarde, Bolsonaro terá uma reunião com o presidente da Assembleia Nacional da Hungria, László Köver. Bolsonaro disse que vai retornar ao Brasil logo depois de cumprir a agenda, com previsão de chegar no Rio de Janeiro na sexta-feira, onde deve sobrevoar a cidade de Petrópolis, afetada por fortes chuvas.

Veja Também

Na terça, Bolsonaro esteve na Rússia, onde se encontrou com o presidente Vladimir Putin. Após a reunião a portas fechadas, que durou aproximadamente duas horas, o chefe do Executivo brasileiro exaltou o diálogo com a Rússia, defendeu a soberania das nações e o empenho pela paz. O presidente também agradeceu a Putin por defender a soberania do Brasil na Amazônia.

"Compartilhamos de valores comuns, como crença em Deus e a defesa da família, também somos solidários a todos os países que querem e se empenham pela paz. Temos uma colaboração intensa nos principais fóruns internacionais, onde defendemos a soberania dos Estados".

Antes do encontro no Kremlin, o presidente participou de cerimônia em homenagem a soldados do então Exército da União Soviética mortos durante confronto com os nazistas na Segunda Guerra Mundial. Durante a homenagem, Bolsonaro entregou uma coroa de flores com folhas verdes, azuis e amarelas, cores da bandeira do Brasil.

A cerimônia faz parte dos protocolos cumpridos por chefes de Estado que visitam a Rússia. O local é símbolo da vitória da União Soviética na guerra. O império, que tinha a Rússia como principal país, durou entre 1922 e 1991 e representou o bloco comunista do mundo, regime que é criticado por Bolsonaro.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895