Bolsonaro diz que vídeo com leão e hienas foi "erro" e pede desculpas ao STF

Bolsonaro diz que vídeo com leão e hienas foi "erro" e pede desculpas ao STF

Presidente afirma que não pode responsabilizar o filho Carlos pela publicação

AE

Bolsonaro pediu desculpa por vídeo postado no Twitter

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que a publicação de um vídeo em sua conta no Twitter em que se compara a um leão sendo atacado por hienas foi um "erro" e, por isso, pede desculpas. A informação é do jornal O Estado de São Paulo.

No vídeo, divulgado na segunda, os animais que ameaçam o leão levam o símbolo de instituições, como o Supremo Tribunal Federal, a Organização das Nações Unidas (ONU), o seu partido, PSL, e siglas de oposição - entre as quais o PT e o PCdoB -, além da imprensa. A postagem foi apagada cerca de duas horas depois diante de forte repercussão negativa.

"Me desculpo publicamente ao STF, a quem por ventura ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação", disse o presidente durante viagem à Arábia Saudita.

Ao comentar o vídeo, o decano do Supremo, ministro Celso de Mello, disse em nota que “o atrevimento presidencial parece não encontrar limites”. “É imperioso que o senhor Presidente da República - que não é um ‘monarca presidencial’, como se o nosso País absurdamente fosse uma selva na qual o leão imperasse com poderes absolutos e ilimitados - saiba que, em uma sociedade civilizada e de perfil democrático, jamais haverá cidadãos livres sem um Poder Judiciário independente, como o é a magistratura do Brasil”, disse o decano na nota.

Bolsonaro afirmou que o vídeo foi publicado em sua conta sem o devido cuidado e que orientou sua equipe a evitar este tipo de conteúdo.  "O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinham alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco (nas redes sociais) são as nossas viagens."

Questionado se o autor da postagem foi o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), que já admitiu ter acesso às contas do pai nas redes sociais, o presidente evitou responsabilizá-lo. "Não se pode culpar o Carlos. A responsabilidade final é minha. O Carlos foi um dos grandes responsáveis pela minha eleição e é comum qualquer coisa errada em mídias sociais culpá-lo diretamente. A responsabilidade é minha, tem mais gente que tem a senha e não sei por que passou despercebido essa matéria aí", afirmou.

Presidente em exercício, Hamilton Mourão disse nesta terça, em Brasília que não assistiu ao vídeo. "Acho que foi alguém que postou. Alguém que tem acesso às redes sociais dele, não sei quem. E ele, obviamente, quando viu, tirou", afirmou. Questionado se seria representado como leão ou hiena no vídeo, Mourão desconversou: "Não vi. Está bom?".


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895