Bolsonaro parabeniza Eduardo por decisão de continuar como líder do PSL na Câmara
capa

Bolsonaro parabeniza Eduardo por decisão de continuar como líder do PSL na Câmara

Filho do presidente anunciou na noite da terça-feira que desistiu de pleitear o cargo de embaixador

Por
AE

Eduardo anunciou que desistiu de pleitear o cargo de embaixador e que pretende seguir na liderança do PSL na Câmara

publicidade

A indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil em Washington deve ficar suspensa por pelo menos um ano, segundo o presidente Jair Bolsonaro. No Japão, o presidente indicou que ainda pensa em tentar viabilizar a nomeação do filho até o final do mandato. Com dificuldades para garantir apoio no Senado no momento, Eduardo anunciou na noite dessa terça-feira que desistiu de pleitear o cargo de embaixador e que pretende seguir na liderança do PSL na Câmara.

"Quem sabe no futuro a gente volte a esse assunto, mas acho que pelo menos no próximo ano não se discute mais esse assunto", disse Jair Bolsonaro. O presidente destacou que a indicação de Eduardo, mesmo que fosse formalizada, não seria algo garantido justamente porque depende do aval dos senadores. "Existiu essa possibilidade de eu indicá-lo (para embaixador) no Senado, não estava garantido porque dependeria de uma sabatina. Eu vinha conversando com ele. A partir do momento em que ele aceitou ser líder do partido (na Câmara), agora ele tem uma tremenda responsabilidade lá no Brasil. Então, parabéns a ele por essa decisão", declarou o presidente.

Indagado sobre que conselhos daria ao filho no novo cargo, Bolsonaro desejou "serenidade" e "tranquilidade". "Ele vai ter problemas pela frente, é uma bancada um tanto quanto grande, mas acho que ele tem capacidade pela sua experiência de bem conduzir o partido", disse.

Na véspera, Bolsonaro havia dito que Eduardo teria de fazer uma escolha entre ser indicado a embaixador ou assumir a liderança do PSL. Bolsonaro também considerou que seria mais estratégico o filho desistir da vaga de embaixador momentaneamente e permanecer no País para "pacificar" a legenda. Com a desistência de Eduardo, Bolsonaro disse que deve indicar o diplomata Nestor Forster para o comando da embaixada do Brasil nos EUA. Ele é ligado ao chanceler Ernesto Araújo e ao escritor Olavo de Carvalho