Bolsonaro quer coligação por tempo de TV e verba, diz Mourão

Bolsonaro quer coligação por tempo de TV e verba, diz Mourão

Filiação do presidente ao PL faz parte de estratégia que inclui também PP e Republicanos, para as eleições de 2022, afirma vice

R7

Mourão também comentou sobre aa sabatina de André Mendonça na CCJ

publicidade

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro quer fortalecer sua candidatura à reeleição com uma coligação envolvendo o PL (Partido Liberal), legenda à qual o chefe do Executivo se filiou nesta terça-feira, o PP (Partido Progressista) e o Republicanos. Para Mourão, Bolsonaro quer a união das siglas para conseguir mais tempo de TV no programa eleitoral e mais recursos dos fundos partidário e eleitoral.

“Eu vejo que está havendo uma concertação, não só com o partido que o presidente escolheu, que o PL, como também o PP, o PR (ele quis dizer Republicanos). O presidente está formando uma coalizão em vistas para a eleição do ano que vem, que pode ser diferente da de 2018, e ele precisa de tempo de TV e de recursos, essas coisas todas”, afirmou.

Veja Também

Mourão também sobre a sabatina do ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, que acontece na manhã desta quarta-feira. Ele foi indicado por Bolsonaro para ocupar a vaga no STF (Supremo Tribunal Federal) deixada pelo ministro Marco Aurélio Mello.

O vice-presidente disse acreditar que o nome de Mendonça deve ser aprovado pela comissão. "O ministro André Mendonça, ele tem bom saber jurídico. Com a sabatina dentro desses princípios aí, e eu acho que ele vai ser bem-sucedido”, disse Mourão.

Bolsonaro no PL

O presidente Jair Bolsonaro se filiou ao PL em cerimônia que aconteceu nesta terça-feira, em Brasília. A filiação consolida a aliança do chefe do Executivo com o Centrão, espectro político conhecido por se aliar ao poder, para as eleições de 2022. O governo já estava aliado com as legendas de centro, sendo hoje sua base no Congresso Nacional. O vínculo com a sigla também antecipa a disputa política do próximo ano, quando Bolsonaro tentará a reeleição.

Na mesma data, o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que o presidente buscará a reeleição em uma coligação com PL, PP e Republicanos. 

"Vamos iniciar a campanha. O presidente escolheu o PL, ele pede apoio ao Republicanos, Progressistas (PP) e liberais, além de outros partidos que estarão com o presidente Bolsonaro. A partir de hoje, começamos com a costura das alianças regionais, uma vez decidida a filiação do presidente Bolsonaro. Vai ser um esforço de conciliação para fortalecer os palanques regionais, para que o presidente Bolsonaro possa ter uma reeleição tranquila", afirmou Barros, sem citar quais são os outros partidos.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895