Bolsonaro sanciona projeto para ampliação do metrô de BH

Bolsonaro sanciona projeto para ampliação do metrô de BH

Ao liberar R$ 2,8 bi, governo espera lançar edital para privatização do sistema de trens da capital mineira em março de 2022

R7

Bolsonaro sanciona projeto para ampliação do metrô de BH

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou, nesta quinta-feira (30), o PLN (Projeto de Lei do Congresso Nacional) 15/2021 que prevê a privatização, a modernização e ampliação do metrô de Belo Horizonte.

A proposta libera R$ 2,8 bilhões da União para viabilizar a desestatização da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) em Minas Gerais. O Governo Estadual fará um aporte R$ 428 milhões. Os R$ 572 milhões restantes necessários para as obras serão pagos pela iniciativa privada, que ficará responsável por administrar o serviço de trens da capital mineira.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destacou que a parceria vai viabilizar a ampliação aguardada por 30 anos entre os moradores da região metropolitana.

— Não temos preconceito de trazer a iniciativa privada para ser parceira do desenvolvimento do Brasil.

Bolsonaro destacou que a ampliação do serviço já havia sido prometida por governos antigos, mas não foi cumprida. Durante o discurso realizado em Belo Horizonte, o presidente elogiou o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), por também se empenhar no projeto.

— O nosso governador Romeu Zema também está aportando R$ 400 milhões para essa obra. Como é bom ter um governador da estatura do senhor Romeu Zema. Um homem que ninguém conhecia na política. Sua ascensão na política foi uma surpresa para todos nós. A humildade do Zema é o sucesso da ascensão dele aqui em Minas Gerais.

A verba vai ser aplicada na VDMG (Veículo de Desestatização), empresa que será criada exclusivamente para o processo de desestatização da companhia de trens.

A ideia é que o dinheiro viabilize a criação de mais um quilômetro de trilhos na linha 1 do metrô, a única existente atualmente, fazendo com o que os trens cheguem até o bairo Novo Eldorado, em Contagem, na região metropolitana.

Atualmente, o sistema da capital mineira vai da regional Venda Nova ao Eldorado, em Contagem. A expectativa é que as 19 estações sejam reformadas.

Outro braço do projeto prevê a criação da linha dois, que vai do bairro Calafate, na região Oeste de BH, à regional Barreiro, com ligação à linha 1 pela estação Nova Suiça.

O governo não detalhou quando começarão as obras, mas adiantou que o edital de privatização da CBTU, que vai dar o início ao processo, será lançado em março de 2022.

Centro de vacinas

Durante a cerimônia que marcou os 1.000 dias de governo, a equipe do presidente também confirmou o investimento no Centro Nacional de Vacinas da UFMG, em parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia.

O governo espera que o centro garanta autonomia ao Brasil na produção de vacinas até 2022. O projeto vai ampliar os trabalhos do atual laboratório CT Vacinas da universidade, transformando-o em um polo nacional de desenvolvimento de imunizantes, fármacos e kits diagnósticos.

A estrutura será construída em um terreno de 4.400 metros quadrados no BH-Tec (Parque Tecnológico de Belo Horizonte), ao lado do cumpus Pampulha da UFMG. A iniciativa tem o aporte de R$ 50 milhões do Governo Federal e de R$ 30 milhões do Governo de Minas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895