Bolsonaro sobrevoa de helicóptero manifestação em seu apoio na Esplanada

Bolsonaro sobrevoa de helicóptero manifestação em seu apoio na Esplanada

Carreata em apoio ao presidente da República também ocupou as seis faixas do Eixo Monumental

AE

Bolsonaro sobrevoou de helicóptero a manifestação em seu apoio na Esplanada dos Ministério

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou de helicóptero a manifestação em seu apoio na Esplanada dos Ministérios. Embora houvesse expectativa dos manifestantes sobre a presença do presidente, Bolsonaro não pousou na área central da capital. Uma carreata em apoio ao presidente da República também ocupou as seis faixas do Eixo Monumental.

No solo, de cima de um trio elétrico, diversos parlamentares bolsonaristas sem máscaras discursaram para os manifestantes aglomerados em frente ao Congresso Nacional. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) chegou a tirar fotos com os manifestantes sem usar a proteção facial contra a transmissão do novo coronavírus. O uso de máscaras é obrigatório no Distrito Federal.

Mais cedo, um grupo menor, de dezenas de manifestantes, levantou faixas antidemocráticas pedindo intervenção militar, com as frases: "Intervenção militar com Bolsonaro no poder" e "Presidente Bolsonaro acione as Forças Armadas (FFAA)". No momento em que os parlamentares discursaram, essas faixas não foram mais vistas.

Copacabana

Na manhã deste sábado, uma manifestação de apoiadores do governo federal interrompeu o trânsito na orla de Copacabana, zona sul do Rio. Simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro se aglomeraram na Avenida Atlântica, à beira da praia, uma das principais vias do bairro, carregando bandeiras do Brasil e faixas de protesto contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Os manifestantes executaram o hino nacional e gritavam palavras em apoio a Bolsonaro.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, a Avenida Atlântica foi interditada nos dois sentidos na altura da Rua Figueiredo de Magalhães, no posto 5. O protesto provocou congestionamento no bairro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895