Brasil atuou "de forma construtiva" na Cúpula do Clima, diz Itamaraty
capa

Brasil atuou "de forma construtiva" na Cúpula do Clima, diz Itamaraty

Ministério diz que "governo brasileiro está plenamente comprometido com o cumprimento de seus compromissos internacionais na área ambiental"

Por
Agência Brasil

Evento ocorre simultaneamente à Assembleia Geral

publicidade

O Ministério das Relações Exteriores informou que participou "de forma construtiva" do processo preparatório da Cúpula de Ação Climática, que ocorre paralelamente à 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. O evento começou no sábado, com a Cúpula da Juventude pelo Clima, e termina nesta segunda-feira com a participação de líderes mundiais. "O governo brasileiro está plenamente comprometido com o cumprimento de seus compromissos internacionais na área ambiental", diz a nota do Itamaraty.

O presidente Jair Bolsonaro, entretanto, não vai paraticipar do evento – ele embarcou hoje para Nova York, onde participará da Assembleia Geral das Nações Unidas. Segundo o Itamarty, nos meses que antecederam o evento, foram formadas nove coalizões temáticas, uma delas dedicada a Infraestrutura, Cidades e Ação Local, da qual o Brasil participou. Em parceria com o Quênia e o programa ONU-Habitat, o Brasil apresentou uma proposta de ações sobre aprimoramento da resiliência de grupos urbanos vulneráveis.

Além disso, na coalizão sobre Transição Energética, o governo propôs a promoção de biocombustíveis no setor de transportes, baseada na experiência brasileira com o Programa Renovabio. "Finalmente, na coalizão Soluções Baseadas na Natureza, apresentamos proposta baseada nos resultados exitosos do Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura (Plano ABC)", informou o ministério.

A Cúpula de Ação Climática é uma iniciativa do Secretário-Geral da ONU, António Guterres, que disse esperar que ao fim do encontro seja feito o anúncio de ações concretas contra o aumento das temperaturas. A abertura do evento contou com a participação de jovens ativistas que têm impulsionado a luta contra o aquecimento global, entre eles, a ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, que se destacou em protestos na Europa.