Cármen Lúcia será relatora de ação no STF por omissão na Amazônia
capa

Cármen Lúcia será relatora de ação no STF por omissão na Amazônia

Rede protocolou pedido de impeachment contra o ministro Ricardo Salles

Por
R7

Na ação, Rede pede também que o governo informe quantas e quais medida foram adotadas para o combate ao desmatamento

publicidade

A ministra Cármen Lúcia será a relatora da ação movida pela Rede Sustentabilidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Ricardo Salles pela omissão no desmatamento da Amazônia. O partido impetrou a ação na quinta-feira por omissão inconstitucional, defendendo que o Poder Executivo reconheceu que houve um aumento no desmatamento, mas tenta desacreditar os dados apresentados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). 

Na ação, a Rede pede também que o governo informe quantas e quais medida foram adotadas para o combate ao desmatamento após a divulgação dos dados parciais do Inpe. A iniciativa partiu do senador do Espírito Santo Fabiano Contarato, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado. Ele argumentou que a fundamentação de seu pedido é mais profunda quando se analisa o comportamento do ministro, citando o fim da secretaria de mudanças climáticas e do plano de combate ao desmatamento. "Juntando essas duas, o resultado vai no aumento de desmataneto, nos incêndios e no desmonte do que está ocorrendo. Mais ainda, puxando pelo artigo 186 do Código Civil, é expresso ao estabelecer que todo aquele que por omissão voluntária, por negligência ou imprudência, ocasiona um dano, mesmo que moral, fica obrigado a reparar", disse.