Câmara de Porto Alegre mantém veto a passaporte vacinal

Câmara de Porto Alegre mantém veto a passaporte vacinal

Decisão, no entanto, não tem efeito, já que medida vale para todo o Estado desde esta semana

Correio do Povo

Maioria dos vereadores de Porto Alegre votaram a favor do veto ao passaporte vacinal

publicidade

Por 18 votos a 14, os vereadores de Porto Alegre mantiveram nesta quarta-feira o veto do prefeito Sebastião Melo (MDB) ao passaporte vacinal. A deliberação dos políticos foi marcada pela confusão. A decisão dos parlamenates, no entanto, não tem eficácia, já que a medida vale para todo o Estado desde segunda-feira. 

Durante audiência para votação, parte do Executivo alegou que não como fazer a devida fiscalização do passaporte vacinal. A sessão foi bastante acalorada, pois manifestantes que protestavam contra a medida invadiram a Câmara e agrediram os parlamentares. 

Segundo a oposição, os manifestantes foram convidados e encorajados por colegas da Casa. Os vereadores contrários ao passaporte alegam que a confusão ocorreu com a ajuda dos parlamentares da oposição, que teriam incitado agressões verbais e físicas aos políticos. 

Dentre os agredidos, estão os vereadores Cláudio Janta (Solidariedade) e Roberto Robaina (PSol). Após a confusão, Janta disse que não pretende fazer boletim de ocorrência, uma vez que foi um "evento isolado". "O que vai ser feito é um pedido formal para a Câmara não deixar mais esses manifestantes, que têm vídeo e fotos, entrarem". Segundo ele, ainda será solicitada uma reunião da Mesa pra que símbolos nazistas, racistas e nazifascismo sejam proibidos de acessar a Casa. 

Os vereadores Leonel Radde (PT), que também foi agredido, e as vereadoras Bruna Rodrigues e Daiana Santos, ambas do PCdoB, entretanto, devem fazer um boletim de ocorrência. Radde em função da utilização de símbolos do nazifascismo, e as colegas em decorrência aos ataques racistas.

Em frente à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, vários manifestantes protestavam contra o passaporte vacinal. Com bandeiras do Brasil e cartazes, eles defendem o direito de não se vacinarem e de não terem restrições para frequentar eventos no Estado, além de contestarem a eficácia da vacinação contra a Covid-19.

Veja Também

 

Obtenção do passaporte vacinal 

O comprovante de vacinação oficial pode ser obtido no aplicativo Conecte SUS ou por outro meio comprobatório, como caderneta ou cartão de vacinação emitido pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) ou outro órgão governamental. Ele é obrigatório em competições esportivas, ou seja, quem quiser entrar em estádios de futebol, terá que apresentar o documento. Locais de eventos sociais, infantis e de entretenimento, como casas noturnas, por exemplo, também exigirão a vacinação.

Feiras e exposições corporativas e similares, assim como apresentações em shows, cinemas, teatros, casas de espetáculos e similares, estão na lista. Por fim, parques temáticos e de diversão e similares, situações consideradas atividades de alto risco de contaminação por coronavírus, completam os grupos de atividades estipulados pela administração estadual.

Ouça:


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895