Caso Queiroz é "quase um troco", minimiza Mourão
capa

Caso Queiroz é "quase um troco", minimiza Mourão

Ex-assessor é acusado de movimentação atípica de R$ 1,2 milhão

Por
AE

Vice-presidente afirmou que suspeita de corrupção tem pouca importância

publicidade

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, minimizou as suspeitas de corrupção contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, envolvendo o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz. Para ele, os valores supostamente envolvidos são baixos em relação a outros casos de corrupção.

"Acho o Caso Queiroz de tão pouca importância", afirmou Mourão em entrevista ao programa Conexão Repórter, do SBT, na madrugada desta terça-feira.

Mourão mencionou casos "terrivelmente escabrosos" de crimes contra os cofres públicos, e disse que o valor de aproximadamente R$ 1,2 milhão que Queiroz é acusado de movimentar atipicamente é "quase um troco".

Questionado se há falta de transparência nas investigações do caso, o vice-presidente declarou que "é um problema do sistema judiciário". "O sistema tem que investigar, entregar ao Ministério Público e chegar ao juiz", disse.