Cerimônia do Dia da Independência gera aglomeração em frente ao Alvorada

Cerimônia do Dia da Independência gera aglomeração em frente ao Alvorada

Bolsonaro desfilou de automóvel acompanhado de um grupo de cerca de dez crianças

AE

Mesmo sem a presença do desfile das Forças Armadas, partidários do presidente se aglomeraram durante cerimônia realizada pelo presidente

publicidade

Criada para substituir o tradicional desfile de 7 de setembro na Esplanada dos Ministérios, cancelado devido à pandemia do novo coronavírus, a versão reduzida da cerimônia no Palácio da Alvorada gerou aglomeração. Dezenas de pessoas se juntaram diante da residência oficial da Presidência da República, na manhã desta segunda-feira, para acompanhar a chegada do presidente Jair Bolsonaro, a cerimônia do hasteamento bandeira e a apresentação da esquadrilha da fumaça. O evento durou cerca de 30 minutos.

Por volta das 10 horas, Bolsonaro surgiu em um automóvel conversível Rolls-Royce à cerimônia do Dia da Independência, acompanhado de um grupo de cerca de dez crianças, familiares de autoridades convidadas. Entre elas, a neta do ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

Sem máscara, o presidente cumprimentou apoiadores que o aguardavam e tirou fotos com alguns deles em diversos momentos.

Para a cerimônia desta segunda, o governo montou uma estrutura enxuta no Alvorada para que as autoridades, a imprensa e apoiadores do presidente pudessem acompanhar o evento. Inicialmente, a Secom informou que a celebração seria restrita apenas para convidados, mas o espaço acabou aberto para dezenas de pessoas sob o argumento de que a estrutura foi criada para receber os visitantes que vão diariamente ao Palácio da Alvorada, o que gerou aglomeração.

Aos gritos de "mito", os apoiadores do presidente seguravam bandeiras do Brasil, dos Estados Unidos e de Israel. Nem todos usavam máscara de proteção.

De acordo com a Secom, o espaço possuía capacidade para até 800 pessoas, mas, como é possível constatar em imagens aéreas, não estava cheio. Depois, o governo afirmou que a estimativa de participantes era de cerca de mil pessoas.

Na cerimônia, estavam presentes algumas das principais autoridades de Brasília, como os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, além de ministros de Estado e chefes das Forças Armadas. Entre os ministros, estavam Paulo Guedes (Economia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Fábio Faria (Comunicações).

Apesar de convidado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não participou. Segundo a assessoria de Maia, o parlamentar não pode participar porque estará no Rio no horário do evento. No ano passado, ele também não compareceu, porque estava em viagem ao Catar.

Ao lado de Bolsonaro, na primeira fila, estavam o vice-presidente Hamilton Mourão e os ministros da Defesa, Fernando Azevedo, e da Casa Civil, Walter Braga Netto.

Ao deixar o local, o presidente saiu caminhando com os ministros da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, até a parte interna da residência oficial.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895