Cidades brasileiras registram protestos contra Bolsonaro

Cidades brasileiras registram protestos contra Bolsonaro

Com Congresso isolado, manifestantes ocuparam gramado central da Esplanada dos Ministérios

AE e Correio do Povo

Ato em Brasília é marcado pela presença de indígenas

publicidade

Com fortes críticas à condução do combate à pandemia e cobrança por mais vacinas, manifestantes de diversas cidades brasileiras vão às ruas neste sábado. Na manhã de hoje, atos foram registrados no Rio de Janeiro e Brasília. Em Porto Alegre, por exemplo, concentração de manifestantes está marcado para 15h.

Em Brasília, grupos organizados ocuparam o gramado central da Esplanada dos Ministérios para protestar contra o governo de Jair Bolsonaro. Com o Congresso isolado pelo policiamento, os manifestantes organizaram uma caminhada pela Esplanada até se posicionarem diante de um carro de som, estacionado no local mais próximo possível do Parlamento, que funciona como uma espécie de palanque improvisado para os discursos.

Com muitas faixas pedindo a saída do presidente e cobrando reforço nos auxílios sociais, a manifestação tem forte presença de militantes de partidos de oposição, especialmente PT e Psol. "Derrotar Bolsonaro não é uma tarefa para amanhã, derrotar Bolsonaro é uma tarefa para hoje", disse o deputado distrital Fábio Félix, do PSol. Ato em Brasília é também marcado pela presença massiva de indígenas, que reinvindicam demarcação de terras.

A organização do protesto distribuiu máscaras e álcool gel para os participantes da manifestação. Embora tenha havido uma tentativa de reduzir a aglomeração com uma espécie de distribuição de setores separados por faixas de protestos, boa parte dos presentes acaba se reunindo em frente ao carro de som do evento.

Na cidade do Rio de Janeiro, a concentração começou por volta das 10h no Monumento Zumbi dos Palmares, na avenida Presidente Vargas, principal via da região central, que ficou interditada durante caminhada. Os manifestantes carregam bandeiras e cartazes pedindo o impeachment de Bolsonaro. Uma faixa culpa o presidente pelas 500 mil mortes da pandemia no Brasil, marca que pode ser atingida ainda hoje.

No Recife, o protesto terá uma caminhada até a avenida Guararapes no Centro da cidade. 

Veja Também

Protesto em Berlim

Protesto contra ações do governo federal no enfrentamento à pandemia também foi registrado em Berlim, na Alemanha. Segundo informou a agência de notícias Deutsche Welle, dezenas de pessoas se reuniram neste sábado diante do Portão de Brandemburgo. Os manifestantes pediram mais vacinas e o impeachment de Bolsonaro, além de denunciarem a violência contra os povos indígenas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895