Com ato festivo, PCdoB e PT lançam Manuela e Rossetto na disputa de Porto Alegre

Com ato festivo, PCdoB e PT lançam Manuela e Rossetto na disputa de Porto Alegre

Essa é a primeira vez que o Partido dos Trabalhadores não será cabeça de chapa na eleição da Capital

Por
Henrique Massaro e Mauren Xavier

Ato político de PCdoB e PT foi transmitido pelas redes sociais


publicidade

Com um evento festivo transmitido pelas redes sociais, o PCdoB e o PT oficializaram, no final da tarde deste sábado, o nome de Manuela d'Ávila e Miguel Rossetto na disputa ao Paço Municipal. A coligação dos dois partidos da esquerda representa uma diferença histórica na cidade, que é o fato de o PT abrir mão da cabeça de chapa e indicar o vice. O discurso de ambos, ao final do evento, foi marcado pela necessidade de recuperação da cidade e o combate às desigualdades.  

Diferente das demais convenções realizadas ao longo do dia na Capital, que seguiram o modelo tradicional, o ato dos dois partidos foi organizado em formato diferente, mais informal e com a participação de moradores da cidade, além da transmissão de vídeos com depoimentos de políticos e artistas. No primeiro momento, em vez de apresentar diretamente as críticas aos problemas de Porto Alegre, residentes relataram as diversas dificuldades que enfrentam, como falta de vaga nas creches, falta de saneamento, entre outros. Os depoimentos eram acompanhados com dados que fortaleciam as críticas às gestões recentes. 

No início do evento, Manuela recordou a tentativa da construção de uma frente de esquerda na Capital, que acabou não sendo viabilizada. Mesmo assim, ressaltou que a chapa estará no segundo turno e que essa frente se formará. Ao final, por cerca de 20 minutos falou da sua relação com a cidade, de como amadureceu com as derrotas e defendeu o seu desejo de ser a primeira mulher prefeita de Porto Alegre. Também reconheceu estar preparada para as campanhas de desrespeito e as redes de ódio. Manuela, que já foi vereadora, deputada estadual e federal, concorre pela segunda vez à prefeitura de Porto Alegre. 

Em sua manifestação, Rossetto, que já foi vice-governador e ministro, reforçou a 'unidade política' em torno da candidatura. Defendeu a necessidade de um novo ciclo em Porto Alegre, após 16 anos sendo governada por partidos de outro campo ideológico. "A população precisa voltar a participar", afirmou, em referência ao projeto Orçamento Participativo, que foi implementado pelo PT no governo municipal.  

A chapa lança, ao todo, 87 candidatos à Câmara de Vereadores, sendo 33% mulheres. Atualmente sem representantes, o PCdoB apresenta nominata com 37 nomes.