Comissão da Câmara aprova convite para ouvir Sérgio Moro
capa

Comissão da Câmara aprova convite para ouvir Sérgio Moro

Ainda não há data definida para ministro ser ouvido

Por
Agência Brasil

Por se tratar de convite, Moro não é obrigado a comparecer ao colegiado

publicidade

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara aprovou nesta quarta-feira um requerimento de autoria do vice-líder do PT, deputado Rogério Correia (MG), convidando o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Por se tratar de convite, Moro não é obrigado a comparecer ao colegiado. Ainda não há data definida para ouvir o ministro.  

Além do convite na Comissão de Trabalho, outros pedidos para que o ministro Sergio Moro seja ouvido na Câmara foram protocolados -  tanto no plenário da Câmara quanto na Comissão de Diretos Humanos e Minorias. Esses requerimentos ainda não foram apreciados pelos deputados. 

Parlamentares de partidos da oposição também avaliam um pedido para instalação de Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para apurar o vazamento de supostas mensagens trocadas entre Sergio Moro e o procurador da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol. Por outro lado, deputados da base aliada tem criticado o vazamento e acusaram a oposição de não aceitar o resultado das eleições.

No Senado

Nesta terça-feira, ao abrir a sessão do Congresso Nacional, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que o ministro Sergio Moro será ouvido pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado na próxima quarta-feira, às 9h.  

Sem convite ou convocação formal dos senadores, o próprio ministro se colocou à disposição dos parlamentares por meio de ofício apresentado pelo líder do governo, senador Fernando Bezerra (MDB-PE). No documento, o líder afirmou que o ministro ofereceu duas datas (19 ou 26 de junho) para que fosse ouvido pela comissão do Senado. 

“Fui informado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, de sua disponibilidade para prestar os esclarecimentos à Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal sobre notícias amplamente veiculadas na imprensa relacionadas à Operação Lava Jato”, disse Bezerra.