Contra "jogo político", Bolsonaro afirma que pretende vincular Coaf ao Banco Central
capa

Contra "jogo político", Bolsonaro afirma que pretende vincular Coaf ao Banco Central

Este ano, órgão transitou entre o Ministério da Justiça e Ministério da Economia

Por
AE

Bolsonaro afirmou que "tudo onde tem política, mesmo que bem intencionado, sofre pressão"

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que pretende transferir o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Banco Central. O órgão pode ter um quadro efetivo e até mudar de nome, declarou Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada.

"O que pretendemos é tirar o Coaf do jogo político, pretendemos, estamos conversando, vincular o Coaf ao Banco Central. Tudo onde tem política, mesmo bem intencionado, sofre pressão", disse o presidente. De acordo com Bolsonaro, o órgão, no Banco Central, vai fazer o "trabalho sem qualquer suspeição de favorecimento político."

Bolsonaro transferiu o Coaf para o Ministério da Justiça ao assumir o governo. O Congresso, no entanto, devolveu o órgão ao Ministério da Economia. Durante a entrevista concedida nesta manhã, Bolsonaro estava ao lado do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

O destino do presidente do Coaf será decidido pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Perguntado sobre como o órgão ficaria livre de indicações políticas, Bolsonaro citou um exemplo de que poderia sugerir a Moro que tirasse alguém do Coaf enquanto a pasta estivesse no Ministério da Justiça. "Queremos evitar isso aí. Quanto menos o Estado, a política, interferir no destino do Brasil, entendo que seja melhor."