Deputado estadual e Omar Aziz trocam acusações na CPI da Covid

Deputado estadual e Omar Aziz trocam acusações na CPI da Covid

Cobrado por não ter incluído atual governador do estado em relatório de comissão no Amazonas, Fausto Junior atacou

R7

Fausto Vieira e Omar Aziz discutiram na sessão desta terça da CPI

publicidade

O nível da sessão da CPI da Covid, desta terça-feira, foi um dos piores desde que a comissão foi instalada, em abril. O depoente, o deputado estadual Fausto Vieira dos Santos Junior (MDB), fez diversas acusações ao senador Omar Aziz (PSD-AM), que preside a investigação.

A briga começou logo pela manhã, quando o deputado afirmou que, por ele, teria indiciado o ex-governador Aziz no relatório da CPI da Assembleia Legislativa do Amazonas, entregue em 2020.

O presidente da comissão havia perguntado por qual razão o atual governador, Wilson Lima (PSC), havia ficado de fora do relatório antes de receber essa resposta. Daí em diante o clima só piorou. Aziz trouxe à sessão o que apontou como provas do rápido enriquecimento da família de Fausto Junior, que seriam indícios de benefícios dados pelo Governo.

Quando começou a mostrar fotos de dois terrenos em Manaus que estariam ligados a parentes do deputado estadual, Fausto apelou, disse que não iria mais comentar "questões pessoais". Aziz mostrou então que um dos terrenos em um condomínio de luxo estava no nome de sua mãe, integrante do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas. 

"Senador, Vossa Excelência está acostumado a atacar mulheres. Minha mãe não está aqui", protestou a testemunha. "Eu só estou querendo provar porque ele não indiciou o governador", continuou Aziz, dirigindo-se aos demais senadores. "O fato de minha mãe ter terreno não quer dizer que ela teve algum benefício.", reclamou o deputado. "O senhor está expondo coisas pessoais. Se o senhor provar que o terreno foi comprado pelo governador."

Fausto prosseguiu: "Vossa Excelência e sua família são acusados de desviar  R$ 260 milhões da Saúde. E por isso está me atacando. Fale a verdade, senador, o senhor não tem moral para falar."

Aziz se defendeu: "Eu estou deixando Vossa Excelência falar para seus advogados não dizerem que estou lhe ameaçando. Eu e minha família, e o Brasil todo sabe, nós respondemos a um processo que até hoje não fomos denunciados em processo nenhum. Até hoje não foi provado absolutamente nada, pelo contrário. O juiz que fez foi retirado e eu não tenho nenhuma condenação na minha vida."

"Você pode me acusar do que quiser, mas me responde as perguntas", insistiu Aziz. "Eu não estou lhe acusando, estou perguntando. Você conhece Tereza Raquel Rodrigues Baima Rebelo? Pode me acusar do que quiser." "Senador, Vossa Excelência quer desvirtuar um depoimento importante para a saúde do Amazonas."

O parlamentar do PSC afirmou que o deputado estadual poderia acusá-lo do que quisesse e disse que o depoente cometeu perjúrio na CPI da Covid quando, momentos antes, disse não conhecer os dois terrenos. 

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895