Deputado Maroni se manifesta sobre assessor que vendia fogos de artifício
capa

Deputado Maroni se manifesta sobre assessor que vendia fogos de artifício

Após flagrante da Polícia Civil pela venda irregular dos artefatos, assessor Ernesto Lopes foi exonerado

publicidade

O deputado estadual Rodrigo Maroni (Podemos) exonerou o assessor Ernesto Lopes, flagrado na segunda-feira comercializando fogos de artifício clandestinos em Viamão, na região metropolitana. Nesta terça-feira, o parlamentar ratificou que em momento algum ele foi favorável aos fogos, nem deixou de se preocupar a proteção aos animais e deixou claro que não tolera a situação do agora ex-integrante de seu gabinete. "Jamais admitiria algo assim. Poderia ser minha irmã, meu pai", assegura.

Segundo o Maroni, por ser o maior parlamentar da causa animal do Brasil e do servidor público, o flagrante envolvendo um de seus assessores foi o que causou a polêmica. "Não admito qualquer pessoa que façam mal aos animais. Inclusive acho que quem vende fogos de artifício seja preso. Tenho protocolado um projeto de proibição de comercialização e fabricação de fogos", lembra. Ao final, o deputado sugere algo a quem simpatiza com com o uso destes artefatos pirotécnicos. "Se ao contrário, quem sabe se as pessoas que soltam fogos de artificio, adotassem um animal?", alfineta.

Lopes foi flagrado vendendo o material em casa, no bairro Planalto, em Viamão, pela Polícia Civil e encaminhado à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Conforme a titular da 2ª DP de Viamão, a delegada Jeiselaure de Souza, o assessor foi ouvido e liberado. “Foi lavrado um termo circunstanciado, mas a investigação continua, pois pretendemos apurar outros fatos”, explicou.