Deputados gaúchos do PSL devem migrar para nova sigla de Bolsonaro
capa

Deputados gaúchos do PSL devem migrar para nova sigla de Bolsonaro

Três dos quatro parlamentares do Congresso Nacional confirmaram que seguirão os passos do presidente

Por
Luiz Sergio Dibe

Ubiratan Sanderson foi um dos que anunciou a saída

publicidade

Três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL no Rio Grande do Sul deverão migrar para a nova sigla que o presidente Jair Bolsonaro pretende fundar. Marcelo Brum, Bibo Nunes e Ubiratan Sanderson declararam nesta quinta-feira que seguirão os passos de Bolsonaro tão logo o novo partido tenha seu registro homologado pela Justiça Eleitoral. O ato de lançamento da sigla ocorreu nesta quinta-feira, em Brasília.

A intenção dos parlamentares é fazer a troca somente depois de terem a segurança de que não perderão seus mandatos. "Nossa previsão mais otimista é que isso ocorra até março para que possamos organizar candidaturas para as eleições municipais", descreveu Sanderson.

Único a permanecer no PSL, Nereu Crispim, que prosseguirá como presidente estadual do partido no Estado, diz que prefere manter-se fiel ao compromisso com os eleitores, mas afirma que manterá posicionamentos de apoio às medidas do presidente. "A permanência de alguns parlamentares não significa ruptura. Temos compromisso com pautas que defendemos juntamente com o presidente", declarou Crispim.