Direção do PSDB não acredita em segundo turno em prévias

Direção do PSDB não acredita em segundo turno em prévias

João Doria, Eduardo Leite e Arthur Virgílio disputam indicação para concorrer à Presidência da República em 2022

R7

Prévias definem candidato do PSDB à presidência

publicidade

A direção nacional do PSDB estima que a disputa pela indicação do candidato do partido à Presidência da República no ano que vem vai ser decidida sem a necessidade de um segundo turno. O regimento do partido prevê que, caso um dos candidatos não atinja a maioria absoluta dos votos, é necessário um segundo turno das prévias.

Nos bastidores, a possibilidade de que isso ocorra é considerada remota. "Se houver segundo turno, eu voltarei para casa", disse, brincando, o presidente do partido, Bruno Araújo.

Três nomes disputam as prévias da sigla: os governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Desde que os nomes foram anunciados, a disputa se concentra em Leite e Doria. Em um primeiro momento, o governador de São Paulo despontou na preferência entre os tucanos, mas nos últimos dias foi perdendo espaço para o governador do Rio Grande do Sul.

Apesar disso, a equipe do tucano de São Paulo está otimista com a possibilidade de Doria ser o nome escolhido para disputar as eleições no ano que vem. Para o coordenador da campanha do governador, Wilson Pedrosa, Doria será o vencedor das prévias com 60% dos votos.

"Esse dado é baseado em um cruzamento de informações políticas na ponta e de pesquisas internas via telemarketing e WhatsApp. Isso nos dá a confiança de mais de 60% dos votos", comentou.

Líderes tucanos acreditam que a vitória do governador de São Paulo depende essencialmente do desempenho de Arthur Virgílio, que corre por fora na disputa.

Caso Doria não seja o vencedor, diz Pedrosa, ele deve se unir ao candidato escolhido pelos tucanos para disputar o pleito em 2022. "Em eleição ou a gente perde ou ganha. Quem ganha comemora, quem perde se une. Após as prévias, zerou. A partir das 18h saímos unidos e fortalecidos."

Catarina Paladini, coordenadora da campanha de Eduardo Leite, também vê com naturalidade a polarização durante o processo eleitoral. "Faz parte da disputa; são versões apresentadas e, obviamente, contraditas. Os enfrentamentos estão no campo da política, e saberemos conduzir [as divergências] com brilhantismo", comenta.

Até as 12h, o sistema de votação já havia contabilizado 19 mil votos. O partido espera que 44 mil filiados compareçam às prévias. A eleição será encerrada às 17h e o resultado deve ser divulgado às 19h.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895