Discussões nas redes sociais mostram disputas internas no PSL
capa

Discussões nas redes sociais mostram disputas internas no PSL

Colegas de partidos trocaram provocações sobre escolha de presidentes estaduais da sigla

Por
Luiz Sérgio Dibe

publicidade

O deputado federal Bibo Nunes (PSL) defendeu nessa segunda-feira que o partido realize convenções para eleger diretórios e formar executivas em todos os Estados. A declaração do parlamentar gaúcho ocorreu após a manifestação de desavenças entre lideranças do partido, nas redes sociais, sobre a forma como as executivas nacional e estaduais têm conduzido a sigla. "Quem está no comando nacional se acha dono do partido. Tem briga em todos os Estados. A confusão é enorme. Todo mundo que está no comando é provisório. O PSL tem que fazer convenções este ano", aponta o deputado federal eleito com 91.664 votos.

A exposição sobre a disputa interna no PSL teve novo episódio nesta segunda-feira, quando Bibo Nunes e o colega na Câmara dos Deputados, Alexandre Frota (PSL-RJ), trocaram provocações em seus perfis na rede. O parlamentar gaúcho afirma discordar com a manutenção da presidência nacional do partido pelo também deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE). "Ele fica no poder e indica como quer os presidentes estaduais sem que ninguém seja ouvido. Aqui (no RS), é o Crispim. Quem já ouviu falar nesse cara? Quem é Crispim? A maioria quer mudança", argumenta Bibo Nunes.

Nomeado pela executiva nacional do PSL em 1º de julho desse ano para dirigir a sigla no Estado até 31 de dezembro próximo, Nereu Crispim (PSL), que elegeu-se deputado federal com 32.200 votos, se contrapõe o colega de bancada com o argumento de que seu mandato provisório está assegurado pelo estatuto do PSL. O documento de 27 páginas, que pode ser encontrado no website do partido, possui anotações de reconhecimento pelo 1º Ofício de Registros de Pessoas Jurídicas de Brasília, em dezembro de 2011, e está assinado pelo presidente Luciano Bivar. No estatuto, há dispositivos que prevem tanto a eleição de dirigentes por convenção, quanto por designação provisória para o casos de eventual dissolução dos diretórios.

"Trabalho de acordo com o estatuto. Fui conduzido ao comando pela executiva nacional. Não tenho críticas a fazer contra os colegas. Cada uma se expressa como quer, democraticamente. Eu era empresário. Resolvi entrar na política depois de vivenciar situações de violência e desejar mudanças. Me considero um produto da democracia", descreve-se Nereu Crispim.

O atual presidente estadual do PSL afirma que o descontentamento do colega Bibo Nunes deveria ser conduzido à executiva nacional como um pedido oficial para a realização de convenções e diz estar cumprindo as determinações do alto comando partidário. "Fui escolhido e me considero competente para a missão de abrir mais diretórios no RS, filiar o máximo de eleitores e propagar a ideologia e as causas do nosso presidente maior: Jair Bolsonaro (PSL-RJ)", conclui.

O episódio envolvendo disputas internas entre lideranças do PSL não é o primeiro que vem a público, no Estado, através de manifestações do seus integrantes. Em componentes da bancada na Assembleia e o deputado Bibo Nunes expuseram desentendimento ocasionado por divergências acerca da participação da sigla na base do governo de Eduardo Leite (PSDB). Em meio à situação, desacordos sobre a hierarquia interna do partido também vieram à tona como componentes de discórdia.