Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann discutem nas redes
capa

Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann discutem nas redes

Deputado afirmou que colega de partido se acha a dona de tudo e ela afirmou que não tem medo da milícia nem de robôs

Por
AE

Ela afirmou em entrevistas que o presidente tem "inteligência emocional de -20" e que sua destituição foi uma "carta de alforria"

publicidade

A deputada Joice Hasselmann, ex-líder do governo no Congresso, virou alvo do deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, nas redes sociais nesta sexta-feira, em meio a uma crise generalizada no PSL. Ele postou em suas redes sociais uma montagem de uma nota de três reais com o rosto da ex-aliada e afirmou que Joice "se acha a dona de tudo", condenando as críticas que a deputada tem feito a Bolsonaro e a seus seguidores após ser destituída do cargo de líder do governo na Câmara. Ela afirmou em entrevistas que o presidente tem "inteligência emocional de -20" e que sua destituição foi uma "carta de alforria".

"Se acha a dona de tudo, 'porque EU aprovei', 'porque EU isso', 'EU aquilo', 'EU sou mais filha do que os filhos do presidente', 'EU sou a Bolsonaro de saias', mas correu a noite coletando assinaturas para termos Delegado Waldir de líder, pessoa que irritada com o Presidente orientou obstrução à MP 886, botando em risco uma pauta nacional devido a um problema pessoal", escreveu Eduardo Bolsonaro sobre a deputada.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ainda bem que é a inteligência emocional do PR que é -20... Se acha a dona de tudo, "porque EU aprovei", "porque EU isso", "EU aquilo", "EU sou mais filha do que os filhos do presidente", "EU sou a Bolsonaro de saias", mas correu a noite coletando assinaturas para termos Delegado Waldir de líder, pessoa que irritada com o Presidente orientou obstrução à MP 886, botando em risco uma pauta nacional devido a um problema pessoal. Foi além, tirou da CPMI da Fake News os mais combatentes deputados, Filipe Barros @filipebarrosoficial e Caroline de Toni @carolinedetoni , nesta CPMI que visa apenas desgastar o governo. Ou seja, final das contas estão todos trabalhando contra o cara que os elegeu, mas pela frente dizem que estão com Bolsonaro e postam fotos com ele - se não precisavam de Bolsonaro por que se filiaram ao partido dele na eleição? Não há mais espaço para ingenuidade. Tá cheio de gente que acabou de subir no ônibus e quer sentar na janela. O nosso foco não pode ser o poder, político que trabalha apenas pelo voto acaba se tornando político padrão. Vise agradar seu eleitor e ser fiel, pois de pessoas desleais a sociedade tem asco. Obs: se não fossem reiteradas entrevistas dando munição aos nossos inimigos este post não estaria sendo feito.

A post shared by Eduardo Bolsonaro🇧🇷 (@bolsonarosp) on

Joice, por sua vez, respondeu em seu Twitter afirmando que "não tem medo da milícia, nem de robôs" e que sabe quem os seguidores do presidente são e "o que fizeram no verão passado". "Olha só mais um 'presentinho' da milícia digital para mim. Anota aí: NÃO TENHO MEDO DA MILÍCIA, NEM DE ROBÔS! Meus seguidores são DE VERDADE, orgânicos. E não se esqueçam que eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado", postou a ex-líder.

Os dois vêm trocando farpas desde que a deputada afirmou à imprensa que seria o nome preferido de Bolsonaro para disputar a Prefeitura de São Paulo, o que foi encarado pelo grupo do deputado como uma afronta à sua autoridade, já que ele comanda o PSL paulista. "Não nasci líder, não preciso disso. Trabalhei 20h por dia para salvar o governo de crises, aprovar pautas importantes para o País, apagar incêndios durante todos esses meses. Agora ganho minha alforria e mais tempo para cuidar do meu mandato e da minha candidatura à prefeitura", afirmou Joice no Twitter nesta quinta-feira.

Na noite de quarta-feira, teve início uma "batalha de listas" no PSL para definir quem seguiria como líder do partido na Câmara dos Deputados. O grupo alinhado a Bolsonaro tentou destituir o deputado Delegado Waldir do cargo ao colher uma lista com assinaturas a favor da condução de Eduardo Bolsonaro para a liderança do partido. A ala fiel ao presidente do partido, Luciano Bivar, no entanto, respondeu com uma nova lista que pedia a permanência de Waldir no cargo, o que foi acatado pela Mesa Diretora da Câmara. 

O fato de Joice ter assinado a lista do grupo de Waldir irritou o presidente, que a tirou da liderança do governo. Joice afirmou que esperava mais respeito e gratidão e disse que Bolsonaro utiliza o cargo de presidente para interferir no Poder Legislativo. "O próprio presidente estava ligando e pressionando deputados para assinar uma lista", disse, em referência à tentativa de Bolsonaro de fazer Eduardo líder da bancada do PSL na Câmara.