Eduardo Leite convocará deputados em sessão extraordinária logo após a posse
capa

Eduardo Leite convocará deputados em sessão extraordinária logo após a posse

Serão apresentadas aos deputados propostas de reforma administrativa

Por
Taline Oppitz

Também constará projeto de renovações das contratações emergenciais na área da educação

publicidade

Irá durar pouco o recesso dos deputados estaduais. A Assembleia será convocada extraordinariamente logo após a posse. Ao meio-dia de sexta-feira, o futuro governador Eduardo Leite (PSDB) telefonou ao atual José Ivo Sartori (MDB), solicitando a convocação do Legislativo no dia 3 de janeiro. “Alertei Eduardo Leite que no dia 2 fica mais fácil para mobilizar os deputados. Ele irá analisar minha sugestão”, disse Sartori, em entrevista exclusiva ao “Esfera Pública”.

A pauta da convocação é definida pelo tucano e os projetos não precisam cumprir trâmite regimental na Casa antes do encaminhamento ao plenário. Apenas o prazo de publicação. Na lista, estarão as propostas de reforma administrativa, com as mudanças nas secretarias e composição do primeiro escalão. Também constará projeto de renovações das contratações emergenciais na área da educação. Os atuais contratos expiram dia 31 deste mês e a renovação será retroativa para evitar perdas de direitos dos servidores.

Sartori tem mais nove dias no comando do Estado e não quer se esquivar de uma polêmica. O emedebista disse que não pretende deixar para o sucessor a decisão de sancionar ou vetar o projeto que libera a venda e o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios do Rio Grande do Sul. A Assembleia aprovou nesta semana projeto que permite o consumo, até o intervalo e após o final dos jogos.

A iniciativa ocorre dez anos após a proibição de venda e do consumo de álcool nos estádios. A liberação foi proposta pelos deputados Gilmar Sossella e Ciro Simoni, ambos do PDT. A legislação anterior, aprovada em abril de 2008, teve autoria de Miki Breier (PSB). Sartori disse esperar receber o texto do projeto antes do fim de seu mandato, em 31 de dezembro e que gostaria de se posicionar sobre o tema. O governador não quis antecipar sua posição, mas durante entrevista ao programa “Esfera Pública”, da Rádio Guaíba, nas entrelinhas, deixou a sensação de que irá vetar o texto.