Eduardo Leite projeta liberar auxílio emergencial entre 30 e 45 dias no RS

Eduardo Leite projeta liberar auxílio emergencial entre 30 e 45 dias no RS

Governador destacou articulação com AL-RS e esforço do Piratini para entregar ajuda na pandemia

Correio do Povo

Governo fez grande articulação para aprovar projeto de forma unânime

publicidade

O governador Eduardo Leite projetou liberar os recursos do auxílio emergencial gaúcho nos próximos 30 a 45 dias. A manifestação foi feita em pronunciamento no qual agradeceu à Assembleia Legislativa por aprovar de maneira unânime o projeto de lei que cria o benefício, com o objetivo de mitigar os efeitos da crise da Covid-19.

“A nossa missão é o mais rápido possível, num prazo de no máximo entre 30 e 45 dias, fazer chegar esse recurso para as pessoas que mais sofrem as consequências das restrições que acabam se impondo em função da situação do coronavírus", avaliou Leite. São os setores de eventos, alojamento e alimentação, em que a essência da atividade é a aglomeração", acrescentou o governador.

Ele salientou que as dimensões do programa só foram possíveis e, ao mesmo tempo tem limitações, pelo ajustes e reformas efetuados nos últimos meses. "O governo do Rio Grande do Sul está fazendo esse enorme esforço que, graças a todos os ajustes que fizemos e a todas as reformas que ajudaram a equilibrar nossas contas, o Estado não apenas honra seus compromissos, como agora pode dar esse passo para colocar mais de R$ 100 milhões do seu orçamento para esse auxílio emergencial”, afirmou.

O valor total foi ampliado em R$ 7 milhões, na comparação com a proposta original do Executivo, que era de R$ 100 milhões. O complemento será oriundo do orçamento da Assembleia. 

O pagamento ocorrerá da seguinte forma: serão duas parcelas de R$ 1 mil para empresas do Simples e de R$ 400 para microempreendedores individuais, desempregados e mulheres chefes de família. Além disso, o projeto também contempla o investimento de R$ 30 milhões para projetos de cultura, assistência social e esporte.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895