Candidatos à prefeitura de Porto Alegre fazem propostas na reta final

Candidatos à prefeitura de Porto Alegre fazem propostas na reta final

Postulantes ao Paço Municipal avaliam campanha e tentam conquistar o voto dos indecisos na véspera da eleição

Correio do Povo

Documento de arrecadação também pode ser acessado no site da prefeitura

publicidade

Neste domingo, os eleitores em Porto Alegre vão escolher o próximo ocupante do Paço Municipal. Em um campanha com 12 concorrentes, os postulantes apresentaram diferentes propostas de governo e discurso. A seguir, veja os principais trechos das avaliações dos candidatos. 

  • Fernanda Melchionna (PSol): “Nos propusemos a apresentar uma alternativa que enfrente a extrema direita e a velha direita, e que se proponha a construir uma esquerda renovada, que não se vende, não se rende e diz de onde tirar os recursos para enfrentar a crise econômica e melhorar a condição de vida da população. Queremos fortalecer a luta para que o voto seja o voto que a gente acredita.”
     
  • Gustavo Paim (PP): “Tenho andado de porta em porta conversando e o que mais se ouve é a desilusão com a política e políticos. A mensagem que a gente traz é de esperança. Um voto de confiança em alguém que representa uma renovação com segurança, que se preparou, tem especialização em gestão pública e conhece Porto Alegre. Representamos uma renovação com a segurança de uma cidade melhor.”
     
  • João Derly (Republicanos): “Tenho falado para as pessoas que não levem em consideração pesquisa, mas que consultem seu coração e o histórico de cada candidato, para buscar aquilo que seja o melhor para a cidade. Porto Alegre tem tudo para dar certo, mas as administrações se preocupam mais com reeleição e esquecem da essência que é a prefeitura: o cuidado com as pessoas.”
     
  • Juliana Brizola (PDT): “Andei por cada canto da nossa Porto Alegre, sobretudo nas comunidades. Caminhamos por localidades que, segundo moradores, político nenhum esteve. Assim será a nossa gestão, olho no olho. Teremos um olhar muito especial para as nossas comunidades mais vulneráveis, que hoje são invisíveis perante o poder público. Vamos construir uma Porto, Alegre de novo e para todos.”
     
  • Júlio Flores (PSTU): “Faço uma avaliação positiva da nossa campanha, apesar das dificuldades em tempo de pandemia e da falta de espaço no horário eleitoral. Essa eleição é fantasiosa, porque todo mundo diz que vai resolver os problemas, mas a gente sabe que os partidos tradicionais produzem falsas ilusões nos trabalhadores. Apresentamos um programa diferenciado."
     
  • Luiz Delvair (PCO): “Nós da causa operária, não temos ilusão com essa eleição. Sabemos que as eleições são jogos de cartas marcadas. O nosso programa é pelo socialismo e comunismo. A nossa candidatura é uma arma contra o governo federal, que vem destruindo os direitos dos trabalhadores.”
     
  • Manuela D’Ávila (PCdoB): “Quero ser prefeita porque acredito que Porto Alegre pode escolher um caminho novo, acredito que a prefeitura tem um papel central na garantia de trabalho e renda para a população e sei da importância de garantir vagas em creches para nossas crianças. O caminho não precisa ser o dos ataques, das mentiras, do ódio e das fake news, ele pode ser o do diálogo, da participação e da inclusão.”
     
  • Montserrat Martins (PV): “Queremos uma Porto Alegre Capital de Tecnologias Limpas, gerando emprego e renda com incentivos fiscais para energia solar e PPPs para linhas de aeromóvel, despoluindo o Guaíba e captando recursos com projetos federais e internacionais, com aquisição de alimentos sem agrotóxicos."
     
  • Nelson Marchezan Júnior (PSDB): “Vamos escolher qual será o futuro de Porto Alegre. Decidir se queremos seguir em frente, avançando na saúde, segurança, educação e crescimento, ou se vamos voltar ao tempo. Porque o mais difícil já fizemos e agora podemos acelerar para esta cidade melhor chegar pra todos. Aprendi com erros e acertos, ganhei mais experiência, conheço melhor os problemas e os caminhos para resolvê-los.”
     
  • Rodrigo Maroni (Pros): “Estou muito contente de ter apresentado o tema dos animais, os animais realmente precisam de tudo, há uma ausência de tudo, de política pública, não há hospital público, não há delegacia de animais, não há ambulância de resgate de animais, não há sequer secretaria de animais. Os animais nunca tinham sido tratados como prioridade.”
     
  • Sebastião Melo (MDB): “Que a gente tenha no domingo um exemplo cívico de eleição, que as pessoas exerçam com cautela e com os protocolos necessários e vão votar. Há muitos que ainda não decidiram seu voto. Essa eleição o seu voto é mais importante do que nunca para o futuro da cidade. Fizemos uma campanha com compromissos, olhando pro futuro da cidade, apresentando soluções para os problemas, como fazer."
     
  • Valter Nagelstein (PSD): “Porto Alegre precisa de uma mudança, evoluir, avançar. A partir da minha experiência executiva e política, a experiência do delegado Diogo, a gente trouxe um projeto que, tenho certeza, é o melhor. A gente tem um preparo que é diferente dos demais candidatos e o que a gente espera é que as pessoas enxerguem, reconheçam, apoiem. A gente vai transformar Porto Alegre em quatro anos.” 


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895