Manuela incrementa presença direta nas ruas

Manuela incrementa presença direta nas ruas

Estratégia da reta final inclui multiplicação de apoios entre personalidades e jingle em ritmo de samba de breque

Flavia Bemfica

Estratégia da reta final inclui multiplicação de apoios entre personalidades e jingle em ritmo de samba de breque

publicidade

Nesta reta final da disputa pela prefeitura de Porto Alegre, a candidata Manuela D’Ávila (PCdoB) lançou uma ofensiva que se desdobra em três frentes. Há, desde a última sexta-feira, um aumento significativo na campanha de rua, com incremento da participação da própria candidata no chamado corpo a corpo. Manuela também passou a apontar de maneira bem incisiva a disseminação de fake news envolvendo sua imagem, citando e explicando casos concretos, seja em contatos diretos com os eleitores, na propaganda eleitoral no rádio e na TV ou nas redes sociais. Por fim, ela está trazendo para o horário eleitoral a profusão de apoios recebidos de personalidades nacionais da cultura, do esporte, das artes, da academia e da política.

Nesta segunda, o depoimento do ex-governador Alceu Collares (PDT) a favor da candidata está se somando àqueles já gravados (e veiculados) por três corredores da disputa presidencial de 2018. Fernando Haddad (PT), de quem Manuela foi vice, Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Na estreia na TV já estavam as deputadas Juliana Brizola (PDT) e Fernanda Melchionna (PSol), que disputaram a prefeitura no primeiro turno. Para além da política, personalidades locais e nacionais seguem anunciando apoio na internet.

Mas é sobre o vídeo postado na noite de domingo nas redes de Manuela e que já havia alcançado quase 50 mil visualizações pouco antes do horário eleitoral desta segunda somente no Instagram que há expectativa, em função do potencial para angariar votos entre diferentes camadas do eleitorado. No vídeo, artistas como Mônica Martelli, Caetano Veloso, Zezé Mota, Antônio Villeroy, Paula Burlamaqui, Bebeto Alves, Lila Borges e Osmar Prado, ou o técnico Roger Machado, entoam um jingle com arranjo de samba de breque, o “Vamos votar nela, agora é Manuela.” Ao final, o ator Antônio Pitanga conclama os eleitores a votarem.

Nas ruas, o coordenador da campanha, Márcio Cabreira, promete um aumento expressivo da mobilização, principalmente nas periferias, mas sem “áreas proibidas” em regiões onde tradicionalmente o eleitorado “à esquerda” é minoria, como o eixo Bela Vista/Moinhos de Vento. “Não há zona proibida, sob qualquer hipótese. Pelo contrário, nossa política agora é de presença em toda a cidade”, resume. No final de semana a candidata esteve com apoiadores e pedindo voto na rua em regiões como Cidade Baixa, Morro Santana, Ipanema, Mário Quintana, Rubem Berta, Leopoldina, Bom Fim, Sarandi, Santa Rosa e Parque dos Maias. Em várias, acompanhada por Fernanda Melchionna. O incremento do corpo a corpo nas periferias foi adotado também pelo vice, Miguel Rossetto (PT), em agendas paralelas às da candidata, e acompanhado por integrantes da bancada federal de seu partido.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895