Republicanos confirma Damares Alves ao Senado

Republicanos confirma Damares Alves ao Senado

Candidatura foi oficializada nesta sexta-feira (5) durante convenção partidária

R7

Damares Alves será candidata ao Senado pelo Republicanos

publicidade

A ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves será candidata a senadora nas eleições de outubro. A definição foi anunciada pelo Republicanos durante a convenção partidária, nesta sexta-feira (5), último dia do prazo para as convenções. 

"Estou muito feliz", disse Damares. "Não foi um processo fácil, mas o presidente Bolsonaro vai ter um palanque legítimo (no DF). Nossa prioridade é a eleição do mais incrível homem que já governou o país", declarou. "Estou voltando (para a disputa eleitoral) pelas crianças, pelas mulheres, pelos idosos".

"Procuramos com um quadro desse de excelência ocupar um cargo do tamanho que a ministra merece", disse o presidente regional da legenda, Wanderley Tavares. Ele ainda anunciou que a sigla vai apoiar a candidatura de Ibaneis Rocha a reeleição, diante da indefinição do senador Reguffe quanto à própria candidatura. "Tomamos a decisão que tinha que tomar". Damares terá apoio do presidente regional do União Brasil, Manoel Arruda, que será o suplente.

Na quarta-feira (3), a ex-ministra reuniu aliados para discutir o lançamento da candidatura avulsa, com o intuito de reforçar o apoio à campanha política. Uma das possibilidades discutidas era que Damares se lançasse à Câmara dos Deputados. Contudo, o anúncio oficial, previsto para aquela data, acabou adiado.

Em meados de julho, Damares chegou a ser anunciada a candidata ao Senado na chapa do atual governador Ibaneis Rocha (MDB), postulante à reeleição. Na época, houve rusgas na relação dele com José Roberto Arruda e Flávia.  Isso porque o ex-governador Arruda pretendia concorrer ao Buriti quando uma decisão liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) o tornou elegível.

Contudo, o presidente Jair Bolsonaro interveio no impasse e fechou acordo para que Arruda fosse candidato a deputado federal e abriu espaço para que a mulher dele, Flávia, fosse o nome ao Senado na chapa de Ibaneis. Com a derrubada da decisão provisória do STJ, agora, Arruda está novamente inelegível.

Com o arranjo, a candidatura de Damares perdeu espaço e, desde então, o destino eleitoral da ex-ministra estava incerto. Neste ano, os eleitores vão escolher apenas um novo nome ao Senado. Com isso, Damares e Flávia devem se enfrentar diretamente nas urnas.

"Que bom que o DF poderá escolher entre as duas candidatas pró Bolsonaro vamos para a disputa nesse sentido", disse Damares.

Convenção partidária

Durante a convenção, o Republicanos oficializou os nomes que compõe a nominata: serão 27 candidatos à Câmara Legislativa e 9 à Câmara dos Deputados.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895