Embaixadores da UE discutem iniciativas econômicas para Porto Alegre

Embaixadores da UE discutem iniciativas econômicas para Porto Alegre

Encontro reuniu representantes de 18 países para debater oportunidades de trocas bilaterais

Por
Cláudio Isaías

O professor Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, coordenador do Pacto Alegre, participou do evento


publicidade

Uma comitiva de embaixadores de 18 países da União Europeia (UE) discutiu temas do Pacto Alegre e as oportunidades de trocas bilaterais de investimentos. O encontro foi realizado, nesta sexta-feira, na Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA). A atividade contou com as presenças do Embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, do secretário de Relações Institucionais, Christian Lemos, e da primeira-dama do município, Tainá Vidal.

O coordenador do Pacto Alegre e professor da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, realizou um relato aos europeus das ações do projeto. Segundo ele, o Pacto Alegre está começando a projetar a Capital tendo a inovação, a criatividade e as pessoas como fatores centrais. "A nossa proposta é colocar a Capital no mapa dos ecossistemas de inovação, do empreendedorismo e da geração de oportunidades", explicou. Sobre o Pacto Alegre, Luiz Carlos destacou que a iniciativa foi lançada em novembro de 2018 e que reúne 85 entidades dos segmentos acadêmico, empresarial, de governo e da sociedade em busca de articulação e eficiência na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade. "O objetivo dos organizadores é criar condições para que a capital gaúcha se transforme em um polo de inovação, atração de investimentos e empreendedorismo, com o compartilhamento de recursos e parcerias com o poder público e a iniciativa privada", acrescentou.

Segundo Ignacio Ybáñez, o Brasil é um mercado importante para as relações comerciais das empresas europeias. “No caso de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul, temos conexões históricas com o acolhimento de comunidades de diferentes países dos estados-membros, que estão muito bem representados por aqui, criando ótimas condições para investimentos do nosso continente”, ressaltou. O embaixador da UE no Brasil, Ignacio Ybáñez, participou também de um encontro com o reitor da Ufrgs, Rui Vicente Oppermann, onde foram tratados temas como parcerias acadêmicas já existentes, novas oportunidades de cooperação e incentivo à cultura do empreendedorismo. O acordo entre UE e Mercosul foi o tema da apresentação de Ybáñez.

Para ele, hoje o Brasil é um parceiro estratégico do bloco europeu e, a partir do acordo, os demais países do Mercosul também o serão. O embaixador ressaltou benefícios do acordo, como o aumento da competitividade brasileira no mercado global, e explicou os próximos passos da tramitação do acordo, que ainda deve ser apresentado para o Conselho da União Europeia, pelo Parlamento do bloco e pelos legislativos de todos os países-membros.


O reitor Rui Oppermann falou sobre os espaços educativos na América Latina e Caribe e as colaborações existentes com países europeus. “Tanto o Mercosul quanto a União Europeia são blocos políticos, mas também espaços educacionais. No Mercosul, estamos mais avançados na integração educacional do que na integração política”, afirmou. O reitor destacou a realização da Conferência Regional de Educação Superior em 2018, na Argentina, e da Associação de Universidades do Grupo Montevidéu. Tanto na Ufrgs quanto na Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) participaram representantes da Alemanha, Finlândia, Áustria, Bélgica, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslovênia, Espanha, Grécia, Irlanda, Luxemburgo, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia e Suécia.