Ernesto Araújo é convidado a falar no Senado sobre apoio ao plano dos EUA para o Oriente Médio

Ernesto Araújo é convidado a falar no Senado sobre apoio ao plano dos EUA para o Oriente Médio

Senador Esperidião Amin considerou que seria uma irresponsabilidade falta de explicação sobre mudança brasileira em relação à questão entre Israel e Palestina

Por
Agência Brasil

Ministro está nos EUA participando de reunião da Organização dos Estados Americanos


publicidade

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, deverá ir à Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado para esclarecer a posição do Brasil em relação ao plano de paz apresentado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o conflito entre Israel e Palestina. Um convite apresentado nesta quinta-feira pelo senador Esperidião Amin (PP-SC) foi aprovado pelo colegiado. Logo após a apresentação do plano, Amin lembrou que o Itamaraty divulgou uma nota de apoio à proposta de Donald Trump.

"O Brasil tem uma história de relação tanto com Israel quanto com a Palestina. Nenhum país do mundo tem uma relação tão diplomática, tão intensa. Chamar o ministro para explicar essa mudança da posição do Brasil não significa contestar. Mas ignorar isso, creio que seria uma irresponsabilidade", afirmou o senador ao avaliar que a postura do Itamaraty representa uma "mudança de posição. Segundo o presidente da Comissão, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), o ministro adiantou que está disposto a participar da audiência pública, ainda sem data definida para ocorrer.

"Trata-se de iniciativa valiosa que, com a boa-vontade de todos os envolvidos, permite vislumbrar a esperança de um paz sólida para israelenses e palestinos, árabes e judeus, e para toda a região", destaca a nota do Ministério das Relações Exteriores brasileiro.