"Escola Sem Partido" já está em operação, mesmo sem lei específica, diz Bolsonaro
capa

"Escola Sem Partido" já está em operação, mesmo sem lei específica, diz Bolsonaro

Em frente ao Palácio da Alvorada, presidente voltou a elogiar o ministro da Educação, Abraham Weintraub

Por
AE

"Já tem impresso nos cadernos o que o aluno tem direito", disse Bolsonaro sobre Escola Sem Partido

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, faz um trabalho "excelente". "No meu entender ele (Weintraub) está sendo excelente. Tem certos jornalista criticando. Está indo bem", disse Bolsonaro nesta quarta-feira a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

O ministro tem sido criticado por declarações agressivas nas redes sociais e resultados do ministério. O presidente disse que o projeto "Escola Sem Partido" já está em operação, mesmo sem uma lei específica. "Já tem impresso nos cadernos o que o aluno tem direito. (Se) o professor quer falar que o PT é legal, o aluno pode falar o contrário sem ser perseguido", disse.

Questionado por uma apoiadora sobre possível volta de disciplinas de "educação moral e cívica" nas escolas, Bolsonaro disse que "tem coisa que só podemos mudar em 2022". O presidente emendou novas críticas ao educador Paulo Freire: "Agora, essa filosofia desse tal de Paulo Freire...16 anos e olha como está a educação no Brasil", afirmou Bolsonaro, que chamou o educador de "energúmeno" nesta semana.

O presidente ainda disse que os estudantes têm de aprender "coisas úteis". "Prova do Enem deste ano... Lembra ano passado? A linguagem secreta dos gays. Para que isso? Pessoal me chama de homofóbico. O que acrescenta? Doutrinação", disse.

Bolsonaro ainda sinalizou que a prova deveria fazer uma releitura sobre o período da ditadura militar. "Em vez de falar o que aconteceu de verdade de 64 a 85, publicam mentiras", afirmou.