"Esta eleição não acabou", diz diretor de campanha de Trump

"Esta eleição não acabou", diz diretor de campanha de Trump

Joe Biden cresceu na eleição ao tomar liderança nos estados da Pensilvânia e da Geórgia

AFP e AE

"Esta eleição não acabou", diz diretor de campanha de Trump

publicidade

A equipe de campanha do presidente americano Donald Trump disse nesta sexta-feira que "esta eleição não acabou", enquanto seu adversário, Joe Biden, se aproximava da vitória na difícil disputa pela Casa Branca. "Esta eleição não acabou. As falsas projeções proclamando Joe Biden como vencedor são baseadas em resultados em quatro estados que estão longe de ser definitivos", disse em comunicado o diretor de campanha, Matt Morgan.

Veja Também

Morgan destacou ainda que confia na reeleição de Trump. "A falsa projeção de que Joe Biden é o vencedor é baseada em resultados de 4 Estados que estão longe do fim", afirma o texto. "Biden está confiando nesses Estados para sua falsa reivindicação da Casa Branca, mas, assim que a eleição estiver finalizada, Trump será reeleito", disse. 

O diretor da campanha republicana afirmou que precisa haver recontagem na Geórgia, alegando que houve erros na contagem dos votos. Também denuncia "muitas irregularidades" na Pensilvânia, entre elas restrições a voluntários para que pudessem acompanhar de perto os trabalhos da apuração, o que gerou uma demanda judicial dos republicanos. "Nós vencemos no tribunal nessa questão, mas não tivemos um tempo valioso e nos foi negada a transparência devida sob a lei estadual", critica.

Liderança perdida 

A trajetória de Trump rumo à reeleição ficou prejudicada nesta sexta-feira depois que Biden conseguiu tomar a liderança nos estados da Pensilvânia e da Geórgia.

O primeiro território era uma das bases do candidato republicano para buscar a continuidade da Casa Branca. No entanto, a ponte para vitória no pleito começou a ruir a partir da contagem de votos em Philadelphia. Já há, segundo a CNN, uma diferença superior a 5,5 mil votos na Pensilvânia. Na Geórgia, como ainda não foram divulgados novos votos, a vantagem estacionou em pouco mais de 1 mil. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895