Exército decide não punir Pazuello por ato com Bolsonaro no Rio

Exército decide não punir Pazuello por ato com Bolsonaro no Rio

Decisão está em nota à imprensa que diz que argumentos apresentados pelo ex-ministro da Saúde foram aceitos

R7

Participação de Pazuello no ato causou um mal estar dentro das Forças Armadas

publicidade

O comando do Exército anunciou nesta quinta-feira que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, não sofrerá punição por ter participado de um ato com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro em 23 de maio.

Em nota, a justificativa é que "o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general. Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do general Pazuello. Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado", diz a nota.

A participação de Pazuello no ato causou um mal estar dentro das Forças Armadas uma vez que manifestações políticas são vedadas a integrantes da ativa. Houve um grande debate interno sobre uma punição ao general e a defesa de que ele precisa ir para a reserva, caso queira seguir uma carreira política. 

Veja Também

Leia abaixo a íntegra da nota:

Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general.

Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO.

Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895