Fabrício Queiroz é preso no interior de São Paulo

Fabrício Queiroz é preso no interior de São Paulo

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro estava em Atibaia, no interior de São Paulo, nesta manhã

R7 e AE

Fabrício Queiroz é preso nesta quinta-feira

publicidade

Fabrício Queiroz, ex-assessor do agora senador Flávio Bolsonaro, foi preso na manhã desta quinta-feira, 18, em Atibaia, em São Paulo. De acordo com o Ministério Público de São Paulo, ele estava num imóvel do advogado Frederick Wassef e deve ser levado para o Rio de Janeiro ainda nesta quinta. Queiroz foi assessor de Flávio quando este era deputado estadual no Rio de Janeiro.

Wassef é advogado de Flávio no caso Queiroz e do presidente Jair Bolsonaro no caso Adélio Bispo, que atingiu com uma facada o então candidato à Presidência em 2018 em Juiz de Fora, Minas Gerais. O advogado participou nesta quarta-feira, 17, da cerimônia de posse do ministro das Comunicações, Fábio Faria, em Brasília.

Os mandados de busca e apreensão e de prisão contra Queiroz foram expedidos pela Justiça do Rio e a prisão foi feita na Operação Anjo da Polícia Civil e do Ministério Público de São Paulo. Queiroz é investigado um suposto esquema de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio e por lavagem de dinheiro em transações imobiliárias com valores de compra e venda fraudados.

Em dezembro de 2018, o Estadão revelou que Queiroz foi citado em um relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf) por movimentar R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira "atípica", o que arrastou o gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro para o centro de uma investigação do Ministério Público Estadual.

Promotores apontam indícios de que uma organização criminosa foi montada no gabinete de Flávio, o filho "01" do presidente, para desviar dinheiro dos salários dos funcionários. O dinheiro teria sido lavado por meio da compra e da venda de pelo menos 19 imóveis no Rio.

O R7 tenta contato com a defesa de Flávio Bolsonaro, mas ainda não obteve resposta. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895