Forster aceita indicação para embaixada em Washington

Forster aceita indicação para embaixada em Washington

Bolsonaro assegura que "está tudo certo" para que diplomata assuma

AE

Convite teria sido feito por Araújo a Forster por telefone

publicidade

Ligado ao escritor Olavo de Carvalho, o diplomata Nestor Forster aceitou a indicação para assumir a Embaixada do Brasil em Washington. A informação foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro em conversa com jornalistas nesta segunda-feira ao deixar os Emirados Árabes rumo ao Catar. "Está tudo certo para o Forster assumir", garantiu o presidente.

Segundo Bolsonaro, o convite foi feito pelo chanceler Ernesto Araújo a Forster por telefone. Em seguida, o Itamaraty expediu o pedido de agrément - consulta para obter a aprovação diplomática do outro país ao nome escolhido. Na semana passada, Bolsonaro elogiou Forster e disse que ele seria "um bom nome" para a função, mas que precisava ouvi-lo antes de formalizar a indicação. "Como ele já está lá (na embaixada), é um grandão, conhece muito bem, desatou muito bem e é uma pessoa ativa, seria um bom nome para Washington", declarou.

Há alguns meses, a indicação de Forster para a embaixada do Brasil nos EUA era dada como certa por integrantes do Itamaraty. Próximo ao chanceler Ernesto Araújo e ao escritor Olavo de Carvalho, ele foi promovido em junho ao topo da carreira justamente para poder ocupar o posto. Um mês depois, no entanto, diplomatas foram surpreendidos pela possibilidade de Bolsonaro indicar um de seus filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Há alguns dias, com a desistência de Eduardo, o nome de Forster voltou a ganhar força. Mesmo antes do filho afirmar publicamente que abriria mão de pleitear o cargo de embaixador, o presidente da República já havia aventado o nome do diplomata como principal opção. Diferentemente de Eduardo, a avaliação do governo é de que Forster não encontrará dificuldades para ter seu nome aprovado pelos senadores. Após o agrément, o indicado passará por sabatina no Senado.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895