Governo do RS flexibiliza critérios da bandeira vermelha a cidades sem mortes
capa

Governo do RS flexibiliza critérios da bandeira vermelha a cidades sem mortes

Piratini revisa bandeira de Palmeira das Missões, enquanto Porto Alegre acena com aumento nas restrições

Por
Correio do Povo

Governador Eduardo Leite detalhou como funcionará as bandeiras no Rio Grande do Sul nos próximos dias


publicidade

O governador Eduardo Leite definiu, na tarde desta segunda-feira, que somente a região de Palmeiras das Missões foi retirada da vigência da bandeira vermelha e volta para a laranja dentro mapa do modelo de Distanciamento Controlado contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul. As regiões de Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas ficarão sob vigência da bandeira vermelha a partir da meia-noite desta terça-feira. O mesmo valerá para Pelotas, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul, que passaram de amarela para laranja. 

O Gabinete de Crise do Piratini analisou os 30 recursos recebidos de associações e municípios nesta segunda-feira. A progressão de Palmeiras das Missões ocorreu porque a área apresenta um nivel de controle sobre o coronavírus e pelo aumento de disponibilidade de leitos nos hospitais para pacientes com a doença.

Houve, porém, outra mudança nos critérios do Distanciamento Controlado. A partir de agora, os municípios gaúchos que estão na bandeira vermelha poderão utilizar os protocolos da bandeira laranja caso apresentem, dentro de 14 dias, nenhum óbito e hospitalizações por Covid-19. “Conversamos com os municípios e analisamos que alguns protocolos na bandeira vermelha poderiam ser resolvidos em âmbito municipal, conforme a prefeitura achar mais pertinente e fácil de fiscalizar, conforme a realidade local”, destacou o governador. 

Nesta rodada, 37 municípios se encontarm nessa situação: Arambaré, Arroio do Sal, Arroio dos Ratos, Balneário Pinhal, Barão, Barão do Triunfo, Butiá, Capela de Santana, Capivari do Sul, Cerro Grande do Sul, Chuvisca, Dom Feliciano, Dom Pedro de Alcântara, Harmonia, Itati, Mampituba, Maratá, Morrinhos do Sul, Morro Reuter, Mostardas, Nova Hartz, Palmares do Sul, Pareci Novo, Presidente Lucena, Salvador do Sul, São Jerônimo, São José do Hortêncio, São José do Sul, São Pedro da Serra, Sentinela do Sul, Sertão Santana, Tabaí, Tapes, Tavares, Três Forquilhas, Tupandi e Xangri-Lá. 

O governador ainda enfatizou medidas para as cidades que estão sob a bandeira vermelha para evitar aglomerações como a limitação de 30 pessoas em missas e cultos religiosos e o atendimento individual nas academias. Bancos e lotéricas poderão seguir orientações municipais. Já aos restaurantes segue sendo permitido apenas o funcionamento no sistema pague e leve e na telentrega.  

Divulgação / CP

Porto Alegre voltará a restrições 

O prefeito Nelson Marchezan participou da coletiva do Governo do Estado e anunciou que Porto Alegre voltará a ampliar as restrições a patamares semelhantes ao que a Capital passou no início da pandemia, no mês de março. No entanto, ele não detalhou o que será vedado. O prefeito destacou que as medidas serão necessárias no momento por causa do aumento do número de leitos ocupados com pacientes com Covid-19 na cidade que, no início do final de semana passou de 75 para 100 nesta segunda-feira. 


"Não é um problema do município, do Estado, mas mundial. Medidas restritivas precisam ser adotadas neste período, nestas semanas que são mais sensíveis historicamente. Isso é para que a população nos ajude a garantir a menor contato e menos exposição", disse Marchezan. "Estamos trabalhando para salvar vidas. É um momento de tensão e angústia. O que não pode acontecer aqui é tentar divulgar que exista alguma desunião", completou.