Idenir Cecchim assume a presidência da Câmara de Porto Alegre

Idenir Cecchim assume a presidência da Câmara de Porto Alegre

Eleito por unanimidade entre os colegas, vereador assume com o desafio de manter o diálogo e o ouvir

Correio do Povo

Idenir Cechim assumiu a presidência da Casa

publicidade

O vereador Idenir Cecchim (MDB) assumiu nesta segunda-feira a presidência da Câmara de Porto Alegre com o desafio de manter o diálogo e ouvir, o que chamou de a maior ‘obra. “A principal engenharia que cabe a nós é a democracia. A engenharia de ouvir, a engenharia de respeitar, a engenharia da humildade para saber voltar atrás quando se erra”, pontuou o presidente da Casa. “Não teremos medo de tomar decisões”, complementou.

A solenidade foi marcada pela presença de diversas lideranças emedebistas, entre elas o prefeito Sebastião Melo, o presidente da Assembleia, Gabriel Souza, o presidente estadual do partido, deputado federal Alceu Moreira, e deputados estaduais. Ao enaltecê-los, Cecchim disse que aprendeu muito trabalhando com alguns deles. “Aprendi o que se tem que fazer, o que deve ser feito e não ter medo de tomar decisões. Isso certamente me fez crescer”, afirmou. 

Definiu ainda os colegas vereadores como corajosos por terem, ao longo de 2020, discutido e votado projetos importantes para a cidade. No primeiro ano da atual legislatura, Cecchim foi o líder do governo, conduzindo a articulação que resultou na aprovação de todos os projetos do Executivo que foram votados. E, complementou, elogiando a atuação da oposição, por meio do então líder, vereador Pedro Ruas (PSol). “A oposição tem um papel importante. Podemos não concordar, mas devemos ouvir. E foi o que fizemos durante todo esse tempo”, enfatizou. Com a nova composição, o vereador Aldacir Oliboni (PT) assumiu como líder da oposição. Durante a solenidade uma cena chamou a atenção. Com o plenário lotado, o ex-presidente da Casa Reginaldo Pujol (Dem) optou por assistir sozinho a posse pelo telão ao lado de fora do plenário. 

Nova composição. Giovane Byl (PTB) assumiu como primeiro vice-presidente, e Mari Pimentel (Novo), como a segunda vice-presidente. Os demais componentes da mesa são: Mônica Leal (PP), primeira secretária; Comandante Nádia (Dem), segunda secretária; Alexandre Bobadra (PSL), terceiro secretário e Matheus Gomes (PSol), quarto secretário. 

Nesta terça-feira e quarta o recesso parlamentar será interrompido pelas sessões extraordinárias. Na pauta, estão seis projetos do Executivo e uma proposta da mesa diretora. 

Tem o equilíbrio necessário, diz Melo

Na solenidade, o prefeito Sebastião Melo destacou o perfil de Idenir Cecchim para a função de presidente da Câmara, que é o de ter o equilíbrio necessário para o exercício da função. “É a maior qualidade que deve ter um presidente do Poder Legislativo”. Citou a trajetória do colega emedebista nas gestões de ex-prefeitos e recordou que ele, em pelo menos três oportunidades, poderia ter sido presidente do Legislativo, mas abriu mão em nome da unidade do partido. “Só faz isso quem tem grandeza política”, disse, ao completar que ele assume no ano do 250º aniversário da cidade. 

Melo classificou a atual legislatura como a mais “mudancista” da história recente. Afirmou que o Legislativo já enfrentou temas como o da Previdência, da privatização da Carris, do monopólio da Procempa, do cancelamento dos aumentos do IPTU e outros. 

Ao deixar o cargo de presidente da Câmara, Márcio Bins Ely (PDT) ressaltou que 2021 “foi o período mais crítico” com o ápice da contaminação pelo coronavírus. Destacou ainda a importância do papel do legislativo. “É preciso afirmar e reafirmar a importância da Câmara Municipal, que reúne a representação da totalidade dos votos da cidade expressa pela representação plural e percentual dos partidos e bancadas manifestos na urna pela soberana vontade do povo porto-alegrense através do voto.”

Lembrou que a atual legislatura teve uma renovação de quase 50%, com 18 partidos e que o governo é formado por dois ex-vereadores (Melo e o vice Ricardo Gomes), “o que favoreceu o diálogo permanente entre Executivo e Legislativo”.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895