Itamaraty não reconhecerá, "neste momento", resultado de eleições na Bolívia
capa

Itamaraty não reconhecerá, "neste momento", resultado de eleições na Bolívia

Com todas as atas apuradas, o presidente Evo Morales tinha 47,08% dos votos

Por
AE

Organizações e países pediram por mais clareza na apuração de votos na Bolívia

publicidade

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirmou, nessa sexta-feira, que não reconhecerá "neste momento" o resultado final das eleições presidenciais na Bolívia, cuja contagem de votos aponta vitória em primeiro turno de Evo Morales.

Horas antes na sexta-feira a sala plena do tribunal regional eleitoral da Bolívia havia informado a finalização da contagem oficial das eleições presidenciais. Com todas as atas apuradas, o presidente Evo Morales tinha 47,08% dos votos, enquanto seu principal rival, o ex-presidente Carlos Mesa, tinha 36,51%. Com isso, Morales seria reeleito em primeiro turno.

Na quinta-feira, o Tribunal Supremo Eleitoral havia dito que haveria nova votação em quatro mesas no departamento (Estado) de Beni, mas nesta sexta-feira o presidente departamental local, Rodolfo Coimbra, revalidou essas atas e com isso a contagem foi retomada. Para vencer em primeiro turno, um candidato deve ter mais de 50% dos votos, ou 40% e uma distância de ao menos 10 pontos porcentuais em relação ao segundo colocado.

Oposicionistas acusam Evo Morales de ter cometido fraudes para ganhar a eleição no domingo. No plano internacional, a Organização das Nações Unidas, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e países como Estados Unidos e Colômbia pediram clareza na apuração.