Jungmann pede à PF para investigar ameaça a jornalista

Jungmann pede à PF para investigar ameaça a jornalista

Ministro da Segurança Pública afirma que é preciso investigar ameaças contra a liberdade de imprensa

AE

Ministro da Segurança Pública afirma que é preciso investigar ameaças contra a liberdade de imprensa

publicidade

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, enviou nesta quinta-feira memorando ao diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, em que solicita a abertura de uma investigação para apurar a autoria de ameaças sofridas por uma jornalista da Folha de S.Paulo e contra diretor do Instituto Datafolha.

Na terça-feira, o jornal apresentou representação ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a apuração das ameaças sofridas pela repórter Patrícia Campos Mello, após a publicação de reportagem sobre suposto esquema para o disparo em massa de mensagens contra o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, por meio do aplicativo WhatsApp. Essas mensagens, ainda segundo a reportagem, seriam bancadas por empresas privadas que apoiam Jair Bolsonaro (PSL).

• Datafolha: Bolsonaro tem 56% dos votos válidos contra 44% de Haddad

O jornal levantou a possibilidade de a ação ter sido orquestrada para constranger a atuação da empresa. O pedido também cita supostas ameaças a Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.

"Ilícitos"

No memorando enviado a Galloro, Jungmann determina que "sejam adotadas as providências necessárias à apuração dos fatos e à identificação de autoria, circunstâncias e motivações com eles envolvidas".

Para o ministro, se confirmada as informações sobre as ameaças, "pode-se estar diante da configuração de ilícitos penais, e de direta ofensa a inviolabilidade de correspondência, ao sigilo das comunicações, à prestação de informações e à liberdade de imprensa".

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895