Justiça nega pedido do vereador Gabriel Monteiro para suspender processo na Câmara do Rio

Justiça nega pedido do vereador Gabriel Monteiro para suspender processo na Câmara do Rio

Defesa disse respeitar a decisão judicial. Representação no Conselho de Ética pode levar à perda do mandato

R7

Processo contra Gabriel Monteiro está sob sigilo

publicidade

A Justiça negou o pedido da defesa do vereador Gabriel Monteiro de suspender o processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética na Câmara do Rio na quarta-feira (25).

A juíza Neusa Regina Alvarenga Leite, da 14ª Vara de Fazenda Pública, considerou que não há motivos para conceder a liminar. A magistrada não viu irregularidades em questões apontadas pelos advogados, como cerceamento de defesa, falta de acesso ao sorteio do relator, uso de provas ilícitas e limitação do número de testemunhas. 

Na decisão, a juíza ressaltou que o conselho autorizou que Gabriel Monteiro indicasse mais testemunhas de defesa do que o previsto. Além disso, afirmou que, por ele ser representante da população carioca, o esclarecimento dos fatos é de interesse público. 

A defesa do vereador declarou que respeita a decisão judicial.

O processo contra Gabriel Monteiro foi aberto no Conselho de Ética após diversas denúncias. Atualmente, o procedimento, que pode levar à perda do mandato, está na fase de depoimentos. 

Na quarta-feira, dois ex-assessores relataram que tem sofrido ameaças de seguidores de Gabriel Monteiro nas redes sociais. Um deles usou um colete à prova de balas para prestar depoimento.

Além de relatos sobre assédio sexual e moral, eles apontaram orientações do vereador para produzir dossiês que pudessem constranger outros parlamentares e autoridades públicas.

Outros dois depoimentos estão marcados para a próxima terça-feira (31), a partir das 13h. Os ex-funcionários Luiza Caroline Bezerra Batista e Mateus Souza de Oliveira serão ouvidos na condição de testemunhas de acusação.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895