Líder do PSB vai representar Heleno por crime de Segurança Nacional
capa

Líder do PSB vai representar Heleno por crime de Segurança Nacional

Alessandro Molon considera nota divulgada pelo ministro "uma ameaça de golpe"

Por
R7

Molon vê preocupação que representantes do Poder Executivo "estejam usando seus cargos para ameaçar"

publicidade

O líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ), disse nesta sexta-feira que vai representar contra o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, ministro Augusto Heleno, com base na Lei de Segurança Nacional e por crime de responsabilidade. 

As representações serão feitas à Procuradoria Geral da República (PGR) em resposta à nota divulgada pelo general sobre o pedido de Celso de Mello de depoimento do presidente Jair Bolsonaro e apreensão dos celulares de Jair e Carlos Bolsonaro. Na nota, Heleno fala que pedido de apreensão é inacreditável e que "poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional".

Para Molon, a fala de Heleno é uma ameaça de golpe: "A ameaça de golpe feita pelo General Heleno é um crime contra a segurança nacional. A democracia brasileira não pode se curvar neste momento, sob o risco de cruzarmos a última barreira que distingue a nossa democracia de um regime totalitário. É preciso frear os arroubos autoritários do governo Bolsonaro. Por isso, vamos representar contra o General Heleno, com base na Lei de Segurança Nacional".

Molon vê preocupação que representantes do Poder Executivo "estejam usando seus cargos para ameaçar e intimidar os demais poderes da República, em especial o Poder Judiciário, sem qualquer apreço à democracia".  

O líder reitera que ninguém está acima da Constituição e que todos, inclusive o presidente da República, estão submetidos à Carta Maior.