Leite projeta revogação da obrigatoriedade de máscaras no Rio Grande do Sul

Leite projeta revogação da obrigatoriedade de máscaras no Rio Grande do Sul

Governador solicitou ao Comitê Científico da Covid-19 no Estado que analise o fim da exigência

Correio do Povo

Governador está em Nova Iorque em agenda internacional

publicidade

Em agenda internacional em Nova Iorque, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, revelou que fez uma solicitação ao Comitê Científico da Covid-19 para que se analise a possibilidade do fim da obrigatoriedade do uso de máscaras no Estado. No entendimento do chefe do Executivo, com o avanço da vacinação e um menor número de internações, o momento sanitário permite esse passo.  

"Compreendo a preocupação com o uso das máscaras. São um fator adicional de segurança. Entretanto, não podemos ter hipocrisia. As pessoas estão cansadas do uso das máscaras. Conversei com o Ranolfo, e ele fez uma solicitação para que o Comitê Científico reavalie o uso. Tudo indica que estamos vivendo uma consistente redução de casos e internações que devem permitir a redução da exigência. Expectativa é essa", afirmou em contato com o jornalista da Rádio Guaíba Guilherme Baumhardt, que acompanha o governador nos Estados Unidos nesta terça-feira. 

Ainda segundo Leite, o tema também é de responsabilidade federal e poderia ser "solucionado" via Medida Provisória pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. "Bolsonaro pode fazer uma Medida Provisória para retirar o uso das máscaras. Ele tem na sua mão essa possibilidade. Essa lei precisa e precisará ser revista. Penso que estamos nesse momento. De observar e reavaliar a legislação federal", pontuou.

Na última semana, Leite teve sua intenção de liberar o uso de máscaras para crianças de 6 a 11 anos frustrada em ação judicial. A Justiça suspendeu o decreto estadual que permite a não utilização. 

O governador reitera que não é contra o uso, mas vê a necessidade de se discutir o fim da exigência. Em seu entendimento, a pandemia segue preocupante, entretanto, em fase menos crítica. 

"Não sou contra o uso das máscaras, temos que incentivar, especialmente quando se tem sintomas gripais. Não é abolição total, mas o fim da exigência deve ser debatido. Não diria que será o final da pandemia, mas sim um momento de convivência mais pacifico com o vírus. Tivemos mais contaminados e menor internações. Evidente que o momento é menos crítico. Isso nos leva a revisar aplicações das restrições", finalizou. 

Prefeitura de Porto Alegre debate obrigatoriedade de máscaras em espaços abertos nesta quinta

No âmbito municipal, a Prefeitura de Porto Alegre planeja um debate sobre o tema nesta quinta-feira. De forma virtual, estarão reunidos no diálogo representantes de universidades como Ufrgs, PUCRS, Federal de Ciências de Saúde (UFCSPA) e Feevale e dos municípios da Região 10 da saúde.

De acordo com o Executivo, o objetivo é avaliar o cenário da pandemia, internações e contágio da Covid-19, para discutir cientificamente sobre a retirada da obrigatoriedade do uso da proteção nos espaços ao ar livre.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895