Lideranças do Psol querem candidatura própria à presidência

Lideranças do Psol querem candidatura própria à presidência

Movimento surgiu em oposição a possível apoio do partido a Lula em 2022

Correio do Povo

publicidade

Deputados federais e estaduais, bem como lideranças do PSol, assinaram um manifesto por uma candidatura própria da sigla à presidência da República, apresentada nesta segunda-feira. O nome do deputado Glauber Braga (RJ) é o indicado pelo grupo ao partido. O movimento ocorreu em função do possível apoio do partido à eleição do ex-presidente Lula (PT). A iniciativa tem apoio de boa parte do bancada federal, encabeçada por Luiza Erundina (SP).

Outras lideranças também apoiam o movimento como a deputada federal Fernanda Melchionna (RS), Sâmia Bomfim (SP), David Miranda (RJ) e Vivi Reis (PA). No Rio Grande do Sul, a iniciativa teve apoio da deputada estadual Luciana Genro (RS) e dos vereadores de Porto Alegre e integrantes da direção do partido Roberto Robaina, Pedro Ruas e Bernadete Menezes. A ação recebe o apoio ainda do jornalista e fundador do partido Milton Temer e cerca de mil militantes da sigla. 

"A luta contra (Jair) Bolsonaro precisa da mais ampla unidade de ação pelo impeachment em 2021. Mas é preciso fazer unidade de ação e manter a independência política", afirmou Fernanda Melchionna. Ela ressaltou a importância das bandeiras originais do partido. "Glauber é uma das melhores lideranças dessa nova geração. Tem nosso apoio", enfatizou.

Na eleição de 2018, o partido concorreu com chapa única à presidência, liderada pelo professor Guilherme Boulos. Em 2020, Boulos também disputou o segundo turno para prefeitura de São Paulo, perdendo para o tucano Bruno Covas (PSDB) que tentava a reeleição.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895