Lista de inscrição para audiência de Moro causa embate entre governo e oposição

Lista de inscrição para audiência de Moro causa embate entre governo e oposição

Presidente da CCJ quer evitar que ministro seja "massacrado" por grande número de perguntas de partidos como PT, PSOL e PCdoB

AE

Moro irá debater na Câmara os supostos diálogos revelados pelo site The Intercept

publicidade

A presença do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em audiência na Câmara dos Deputados já acirrou os ânimos entre governistas e opositores antes mesmo do início da sessão. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Felipe Francischini (PSL-PR), quer cancelar a pré-lista feita pelos primeiros parlamentares que chegaram para audiência na manhã desta terça-feira.

"Eu quero garantir que não seja um massacre", argumentou Francischini a alguns deputados do PSL defensores da pré-lista. A manobra evitaria que Moro ficasse sujeito a uma sequência de perguntas de deputados de partidos como PT, PSOL e PCdoB, que são maioria na pré-lista. Dos 100 primeiros inscritos no documento informal, cerca de 70 parlamentares são da oposição.

O ministro Sergio Moro será o primeiro a falar. Inicialmente, ele terá 20 minutos para uma exposição. Logo em seguida, o presidente da CCJ inicia a lista de inscritos. Cada deputado terá o direito a falar por três minutos. Líderes também poderão se inscrever a qualquer momento e o tempo será proporcional à representação do partido, de três a dez minutos. Em cada bloco de perguntas falam três deputados e um líder. Moro terá sete minutos para responder.

Audiência Moro vai ser ouvido nesta terça em audiência conjunta de quatro comissões: Constituição e Justiça, Trabalho, Direitos Humanos e Fiscalização Financeira e Controle. O principal tema será as supostas conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil no período em que ele ainda julgava os casos da Operação Lava Jato. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895