Lula contraria Dilma Rousseff e Lobão e diz que caso do apagão não está encerrado

Lula contraria Dilma Rousseff e Lobão e diz que caso do apagão não está encerrado

Presidente afirma que investigação objetiva ocorrerá quando acabar a fase do "achismo"

Lula contraria Dilma e diz que caso do apagão não está encerrado

publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que é preciso um processo de investigação para que seja descoberto o real motivo do apagão energético que atingiu 18 Estados na última terça-feira. Ontem, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disseram que o caso estava encerrado. Lula, no entanto, disse que vai esperar uma apuração mais completa.

"Se o sistema é robusto, como nós acreditamos que seja, eficiente, e que você tinha geração de energia à vontade, por que é que tivemos este desastre? O que quero é que quando tivermos um resultado final, depois de apuração muito correta, a opinião pública fique sabendo: acontece isso, isso e isso", apontou.

O presidente afirmou também que quando terminar a fase do “achismo”, começará o momento mais objetivo da investigação. "Eu acho que o caso foi muito delicado. Aconteceu um blecaute. Quem é que não foi pego de surpresa? Todo mundo. Eu não fui pego de surpresa porque na minha casa não faltou luz".

Segundo Lula, nenhuma hipótese está descartada para os motivos do apagão. "Fora de Deus, os seres humanos são passíveis de erros e coisas que eles não controlam".

Na quarta-feira, o dia seguinte ao apagão, o Ministério de Minas e Energia concluiu que fortes ventos, chuva e raios próximos a linhas de transmissão de energia em Itaberá, no sul de São Paulo, motivaram a queda de energia em grande parte do país.

Com informações do R7.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895