Lula fala em dignidade e critica condução do governo: "Um bando de maluco"
capa

Lula fala em dignidade e critica condução do governo: "Um bando de maluco"

Ex-presidente concedeu entrevista para os jornais Folha de São Paulo e El País

Por
Correio do Povo e AE

Ex-presidente chorou ao comentar a morte do irmão e do neto

publicidade

Após mais de um ano preso na carceragem da sede da Polícia Federal em Curitiba, Lula concedeu hoje a entrevista programada para o jornal Folha de São Paulo e El País. O ex-presidente recebeu os jornalistas Florestan Fernandes Júnior, do El País, e Mônica Bergamo, da Folha. A liberação para que Lula falasse ocorreu após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

O líder petista disse que dorme todas as noites com a consciência tranquila. Reafirmou sua inocência e criticou seus julgadores, em especial o procurador federal Deltan Dallagnol e o atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, que foi o juiz responsável pelo caso na 1ª instância. "Sei muito bem qual lugar que a história me reserva. E sei também quem estará na lixeira". Em outro trecho da entrevista, o ex-presidente declarou que pode ficar preso cem anos, mas que não trocará sua dignidade pela liberdade.

"Vamos fazer uma autocrítica geral neste País. O que não pode é este País estar governado por esse bando de maluco. O País não merece isso, e sobretudo o povo não merece isso", disse o ex-presidente. Aos jornalistas, Lula afirmou que era "grato" a Mourão "pelo que ele fez na morte do meu neto". O ex-presidente disse que, se sair da prisão, quer "conversar com os militares" para entender o ódio ao PT.

Lula disse acreditar que o Supremo Tribunal Federal vai inocentá-lo, porque a Corte muitas vezes já contrariou pressões populares em votações. "A única coisa que eu quero é que votem com relação aos autos do processo. Eu não peço favor a ninguém, eu não quero favor de ninguém. Eu só quero que julguem em função das provas".

Questionado pelo jornalista do El País sobre as mortes do irmão e do neto, Lula chorou. "O Vavá é como se fosse um pai pra da família toda". Sobre a morte do neto, disse que já viveu 73 anos e que poderia morrer e o neto ter sobrevivido. 

Lula cumpre pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). No começo da semana o Superior Tribunal de Justiça reduziu a pena de 12 anos e um mês para 8 anos e 10 meses de reclusão.

Lula concede entrevista na carceragem da PF em Curitiba