Lula recebe vacina contra Covid-19 e volta a criticar Bolsonaro e Pazuello

Lula recebe vacina contra Covid-19 e volta a criticar Bolsonaro e Pazuello

Ex-presidente foi imunizado dentro do carro em que estava, em frente a um posto de saúde de São Bernardo do Campo

AE

Depois de ser imunizado, Lula aproveitou para incentivar a vacinação

publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta manhã a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Lula foi vacinado dentro do carro em que estava, em frente a um posto de saúde de São Bernardo do Campo (SP), cidade que hoje começou a aplicar o imunizante em idosos com 75 e 76 anos - o presidente tem 75 anos de idade.

A vacinação foi transmitida ao vivo nas redes sociais do petista, que estava acompanhado do deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), que é médico e foi ministro da Saúde no governo Dilma Rousseff, além de ministro das Relações Institucionais quando Lula ocupava o Palácio do Planalto.

Veja Também

Depois de ser imunizado, Lula aproveitou para incentivar a vacinação e voltou a criticar o governo Jair Bolsonaro e também o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, segundo Lula "trata as pessoas como se fossem ignorantes. "Eles Bolsonaro e Pazuello tem que aprender a respeitar o sentimento do povo brasileiro e garantir vacina para todo mundo", afirmou.

"Se você não gosta de você, gosta do seu pai, da sua mãe, da sua tia, do seu tio, dos seus amigos, porque se você pegou, vai passar para eles. Então nem pegue e nem passe. Por isso a vacina é imprescindível, e o governo federal tem que assumir a responsabilidade de comprar vacina para todo mundo e distribuir, para que todos os brasileiros tenham direito a uma vacina contra o coronavírus", disse Lula. "Só quem gosta da gente é a gente mesmo, então se cuidem para que amanhã você não esteja chorando a perda de um ente querido", completou.

O petista também acenou a governadores e prefeitos e defendeu que esses líderes locais devam poder comprar vacinas por conta própria, assim como empresários. "É importante que as empresas que querem que seus trabalhadores vão trabalhar comprem vacina e deem vacina no seu povo".

O Congresso Nacional já autorizou a compra de imunizantes por parte do empresas, mas com a exigência de que todas as doses eventualmente compradas sejam entregues ao Sistema Único de Saúde, que executa o plano nacional de vacinação.

Até ontem, segundo o consórcio de veículos de imprensa, 9,5 milhões de pessoas haviam recebido a primeira dose da vacina contra a covid-19, o equivalente a 5,9% da população atual do País. Receberam a segunda dose cerca de 2,15% dos adultos residentes no Brasil.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895