Manifestantes fazem 3º protesto contra o governo em dois meses

Manifestantes fazem 3º protesto contra o governo em dois meses

Movimento acontece diante das suspeitas de irregularidades em contratos de compra de vacina e pedido de impeachment

R7 e AE

No Rio de Janeiro também ocorre uma manifestação contra Bolsonaro

publicidade

Manifestantes já se concentram neste sábado em várias cidades do país em protesto contra o presidente Jair Bolsonaro. A decisão pelo terceiro ato em um intervalo de dois meses foi motivada pelas suspeitas de irregularidades em contratos de compra de vacinas pelo Ministério da Saúde, investigadas pela CPI da Covid no Senado, e pelo superpedido de impeachment protocolado nesta semana por partidos de oposição, além de entidades civis.

De acordo com os organizadores, o ato foi confirmado em, pelo menos, 261 cidades e nesta manhã já há concentração em capitais como o Rio de Janeiro (RJ) , Recife, Belém (PA) e Curitiba (PA), além de cidades do interior, como Campina Grande (PA), Limeira e Campinas (SP).

No Rio, a concentração se dá no Monumento Zumbi dos Palmares, na Avenida Presidente Vargas, região central. A maioria usa máscaras, mas existem pontos de aglomeração. Faixas e cartazes com o pedido de aumento no valor do auxílio emergencial, contra a reforma administrativa e a política de privatização, além da referência a diversos movimentos, como negro e feminista são exibidas.

O movimento tem apoio de partidos de oposição ao governo, como PT, PDT, PCdoB, PSol e PCB. Centrais sindicais também estão presentes, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT).  Os manifestantes também carregam bandeiras com "fora, Bolsonaro", "Bolsonaro genocida" e de demandas diversas, como vacina, cultura e educação. 

A expectativa dos organizadores é caminhar em direção à igreja da Candelária, onde o ato será encerrado com discursos. Guardas municipais e policiais militares acompanham o protesto e orientam o trânsito na região. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895