Marchezan vai governar com maioria na Câmara
capa

Marchezan vai governar com maioria na Câmara

Vereadores eleitos indicam que futuro prefeito terá votos suficientes para aprovar propostas

Por
Flávia Bemfica

Consolidação da base de Marchezan aumenta com adesões quase diárias

publicidade

A cada dia, mais vereadores de Porto Alegre indicam a tendência de integrar a base de apoio do prefeito eleito, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), o que faz com que o tucano caminhe para consolidar a maioria no Legislativo. Nessa terça-feira, vereadores eleitos do Dem e do PSB frisaram sua “identidade ideológica” com propostas de Marchezan. O PSB cogita integrar o governo. O Dem aponta para uma “política de independência com apoio a ideias”. Outra sigla que não descarta integrar o Executivo é o Novo, que elegeu seu primeiro vereador.

Dem e PSB, cada um com dois vereadores, estão no governo do atual prefeito, José Fortunati (PDT), e integraram a coligação do candidato do PMDB à prefeitura, o vice Sebastião Melo, derrotado por Marchezan. A Rede também estava na aliança. Nessa terça, o vereador Mauro Pinheiro (Rede) afirmou que será independente: “Votarei a favor do que for importante para a cidade. Não serei oposição. Acredito que oposição mesmo só farão o PT e o PSol”. O Novo se declarou independente no segundo turno da eleição, mas seu vereador eleito, Felipe Camozzato, abriu o voto para o tucano.

“Temos identidade ideológica com as mudanças defendidas pelo novo prefeito. As questões que ele destacou na saúde são as que eu defendo. E o vereador Reginaldo Pujol (Dem) é um entusiasta do empreendedorismo, outra bandeira do Marchezan. Nossa tendência é de apoiar sem integrar o governo”, afirmou o vereador Thiago Duarte (Dem). “Ainda estamos conversando no partido. Mas eu e o vereador Paulinho Motorista (PSB) já falamos da possibilidade de irmos para o governo. Não há nenhum inconveniente nisso. Já estivemos juntos com PP, PSDB e PTB em diversos momentos e, na prefeitura, temos uma convivência de mais de uma década”, avaliou o vereador Airto Ferronato (PSB).

Camozzato disse que manterá postura de independência, mesmo que o Novo integre a administração municipal, e que a discussão sobre a participação no Executivo cabe à direção do partido. Presidente municipal da sigla, Carlos Bonamigo endossou que Marchezan tem bandeiras simpáticas ao Novo e que não descarta integrar o governo e manter a independência na Câmara.

PSDB e PP haviam anunciado sua disposição em fazer articulações diretamente com os vereadores. Este tipo de negociação não exclui o risco da troca de apoio por cargos, uma vez que os líderes podem indicar nomes individualmente ao mesmo tempo em que os partidos mantêm postura de independência.