Marchezan volta a afirmar que não considera PP integrante da base aliada do governo
capa

Marchezan volta a afirmar que não considera PP integrante da base aliada do governo

Prefeito classificou desconforto com a sigla como "briga partidária que não interessa à comunidade"

Por
Christian Bueller

publicidade

O prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Jr. esteve no programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba, nesta quinta. Aos apresentadores Juremir Machado da Silva e Taline Oppitz, falou sobre as recentes polêmicas com o PP, partido que não é mais considerado da base aliada, e as casinhas comunitárias de cães no Jardim do Salso.

Perguntado sobre a crise no governo, Marchezan preferiu abrir sua participação no programa saudando a capacidade de financiamento que a capital gaúcha recuperou a partir de sua gestão. “A crise foi superada com muita técnica, racionalidade, coragem e interesse público e com o apoio dos vereadores que votaram pelas reformas necessários. Essa semana apresentamos à Câmara Municipal um pedido de autorização de R$ 61 milhões de obras para 540 famílias que moram ao longo da Vila Cavalhada e estavam pendentes no Programa Integrado Socioambiental (Pisa)”. 

O prefeito citou, ainda, R$ 80 milhões destinada para a área de segurança e R$ 243 milhões para obras de saneamento na Lomba do Pinheiro e zona sul para cerca de 230 mil pessoas. “Tem mais de R$ 100 bilhões para os vereadores aprovarem. É um volume recorde de financiamento em todas as áreas. O próximo prefeito vai entrar no azul, o que nenhum faz há 20 anos. Estou feliz com esta ‘crise’”, ironizou.

Sobre o desconforto com o PP, partido do vice-prefeito Gustavo Paim, Marchezan chamou de “brigas partidárias e burocráticas que não interessam à comunidade”. Integrantes do partido teceram críticas ao governo municipal. “Pelas manifestações de partes de vereadores, correspondências divulgadas por progressistas e pela confiança e credibilidade que o líder de governo não tem na hora de fazer as votações na Câmara, o PP é considerado um partido de oposição. Quem sabe se o PP disser que se enganou em suas opiniões, quem sabe volte ao governo. Mas hoje não é considerado da base aliada. Muito menos, por mim”, afirmou Marchezan, que ainda citou que o PP se beneficiou com a sua eleição “para eleger mais vereadores”.

Marchezan defendeu o programa Banco de Talentos, que visa contratações técnicas para cargos de confiança, chamado de “nebuloso” e que “age sem critérios transparentes” por nota divulgada pelo PP. A iniciativa foi alvo de um pedido de informações pela bancada progressista junto à Prefeitura. “É um conceito de profissionais qualificados. O Estado, inclusive, seguiu a ideia. Mais de 15 mil pessoas se inscreveram, 3.300 foram entrevistados, 1.622 contratados, entre servidores e não servidores. Nenhum secretário do governo nomeia ninguém que não passe pelo Banco de Talentos, do qual tenho maior orgulho”, enumerou o prefeito, enfatizando que Paim é quem vai responder ao partido as informações solicitados sobre o programa.

Sobre a polêmica das casinhas de cachorros no bairro Jardim do Salso, o prefeito as considera irregulares por inúmeras razões. “Postes, hidrantes e estruturas da Área azul, por exemplo, são de interesse público. Neste caso, interessa a um determinado grupo de pessoas. Do ponto de vista animal, o ambiente não é adequado pelos restos de comida e de fezes no local. E, ainda, o fato de que há moradores que não gostariam de ter casinhas próximas de sua casa”, explica Marchezan, que chama de “inocentes úteis” quem defende causas sem saber a profundidade do caso. 

“Não é o animal que está em voga aqui. É a casinha que serve de debate político para a esposa do ex-prefeito (se refere à Regina Becker Fortunati) porque tem eleição ano que vem. Ela que faz vida e promove carreata. Não castra um animal no Estado e vem aqui se meter na casinha. Não estou nem aí para a casinha, me preocupo com os animais”. O prefeito citou o programa municipal Adote que alberga e trata animais e o edital de ampliação do hospital veterinário como alternativa.

Apesar do sonho realizado de “trabalhar diariamente para muitas a vida das pessoas” como prefeito, Marchezan voltou a dizer que do ponto de vista pessoal, atualmente, ideia é não concorrer à reeleição pelo desgaste físico e psicológico decorrente do cargo.