capa

Ministro da Educação confirma ligação de Bolsonaro, mas diz que conversa foi "mal entendida"

Abraham Weintraub disse que falou para o presidente "não há corte, há contingenciamento"

Por
AE

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ainda afirmou que leu Paulo Freire, patrono da educação brasileira, e "não gostou"

publicidade

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi mais uma vez questionado sobre o que de fato aconteceu nesta terça-feira em uma conversa telefônica entre ele e Jair Bolsonaro, presenciada por um grupo de parlamentares que entenderam que o presidente havia determinado o fim dos cortes na Educação.

"Eu presenciei o presidente Bolsonaro ligar para o ministro, Major Vitor Hugo (PSL-GO) estava lá e viu também", disse no plenário o deputado Capitão Wagner (PROS-CE). "Não vou entrar no detalhe se foi corte ou contingenciamento, foi uma determinação do presidente. Eu escutei a determinação", disse o parlamentar.

Ao responder os questionamentos, Weintraub confirmou que houve a ligação. "Capitão Wagner, os senhores escutaram o presidente falando comigo, mas não me escutaram. Eu falei para o presidente "não há corte, há contingenciamento", disse ele.

"Estava na explicação. Foi um mal-entendido, não foi uma mentira, o que aconteceu foi que não deu pra escutar a minha versão", afirmou. Em relação a outra pergunta feita por parlamentares, Weintraub respondeu que já leu o educador e pedagogo Paulo Freire, mas que "não gostou".